.........

Na Europa, diferentes reações ao caso

.........

Gerrit van Heijst, secretário-geral da Associação Holandesa de Importadores de Carnes, que reúne mais de 30 companhias que negociam o produto para toda a Europa, diz não ter dúvidas: não está suspendendo o consumo de carne brasileira. "O que eu ouço de nossos importadores é que não há nenhuma razão para se inquietar sobre a qualidade da carne brasileira", afirmou por telefone.

Pessoalmente, o dirigente afirmou que não comeu recentemente o bife brasileiro, mas que não vai deixar de consumi-lo.

Van Heijst ressaltou que sua associação condena "todo tipo de fraude" e dá "muita importância à segurança dos alimentos". E que espera que o Brasil tome ações firmes "para limpar isso", em referência ao problema mostrado na operação Carne Fraca.

Ele observou que a produção de carnes para exportação ao mercado europeu "é feita sob rigoroso controle dos serviços veterinários certificados pela UE". E só depois de verificação na fronteira é que o produto pode entrar no mercado europeu.

Roterdã é um dos principais locais de entrada de carne brasileira, que em seguida é exportada para diferentes mercados da Europa.

A Associação Internacional de Comerciantes de Carnes, sediada em Londres, preferiu não comentar a Operação Carne Fraca. Uma assessora disse que Liz Murphy, presidente da associação, estava muito ocupada atendendo telefonemas de membros em busca de informações sobre o escândalo ocorrido no Brasil.

A entidade representa mais de 60 importadores, exportadores e atacadistas, além de ter como membros associações de setores relevantes, incluindo transporte marítimo, expedição de carga, portos, táxis e armazenamento a frio. Na lista dos membros estão a JBS Global e a Marfrig.

Para representantes de importadores, o importante é que a Comissão Europeia pediu ao Brasil para interditar os estabelecimentos envolvidos na fraude, impedindo-os de exportar ao mercado europeu. Segundo fonte da UE, de 21 estabelecimentos atingidos pela Carne Fraca, quatro teriam autorização de exportar para a Europa, e quase todos estariam mais focados na venda de carne de frango.

A Europa é um dos maiores importadores de carne brasileira. Alguns comentários são de que está havendo "confusão" no que vem sendo publicado. Uma funcionária da companhia belga "Good meat" disse que a importação de carne brasileira é bem pequena comparado ao que vem da Argentina. "E compramos de outros importadores maiores", defende-se.

Na Bélgica, o governo avisou que a importação europeia de carne proveniente do Brasil é controlada por regras estritas. A Agência Federal para Segurança da Cadeia Alimentar (Afsca) vê pouca chance de carne estragada do Brasil ser importada. Para o porta-voz da agência, se algum problema surgir, pode ser com a carne de frango congelada destinada a um tratamento posterior.

Por Assis Moreira | De Genebra

Fonte : Valor