MS já tem mais casos de ferrugem que na parcial da safra passada

Consórcio Antiferrugem apontam 7 casos no estado neste ciclo.
Primeiro caso foi em soja voluntária em Dourados.

Ferrugem asiática em lavoura de soja em Mato Grosso do Sul (Foto: Reprodução/TV Morena)

Ferrugem asiática é uma das principais doenças a atacar a soja (Foto: Reprodução/TV Morena)

O número de casos de ferrugem asiática nas lavouras de soja de Mato Grosso do Sul na parcial até meados de dezembro da safra 2015/2016 já é superior ao registrado no mesmo período do ciclo anterior. Segundo o Consórcio Antiferrugem, parceria público-privada que atua no combate a doença, de setembro a dezembro de 2014 haviam sido confirmados 6 focos no estado, e neste ano foram 7.

O primeiro caso confirmado nesta safra ocorreu em Dourados, em uma planta de soja que cresceu voluntariamente (guaxa). A ocorrência foi informada ao consórcio no dia 2 de novembro e confirmada por exame do laboratório da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) no dia 5 de novembro.

Depois foi descoberto um caso, também em soja voluntária, em Ponta Porã, no dia 11 de novembro,   e outro de soja guaxa, em Dourados, no dia 13 de novembro. Ainda em novembro, no dia 30, mas em lavouras comerciais, foram registradas duas ocorrências em Aral Moreira.

Já em dezembro, o consórcio recebeu a informação de um caso em Amambai no dia 1º, em uma plantação comercial e no dia 9 em outra lavoura de Dourados.

saiba mais

Dados do país
Conforme o consórcio, já foram registrados na parcial desta temporada 137 casos de ferrugem asiática no país. Mato Grosso do Sul é o quarto em número de registros. Fica atrás do Paraná, com 64, Rio Grande do Sul, com 43 e São Paulo, com 11.

O número de casos da doença contabilizados na parcial desta safra frente ao mesmo intervalo de tempo da anterior, quando haviam sido registrados somente 60 ocorrências em todo o Brasil, é 128,33% maior.

O que é a ferrugem asiática
De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a ferrugem é considerada uma das doenças mais severas que incidem na cultura e pode ocorrer em qualquer estádio fenológico da cultura.

Plantas infectadas apresentam desfolha precoce, comprometendo a formação e o enchimento de vagens, reduzindo o peso final dos grãos. Nas diversas regiões geográficas onde a ferrugem asiática foi relatada em níveis epidêmicos, os danos variam de 10% a 90% da produção.

Anderson ViegasDo G1 MS

Fonte : Globo