.........

MS fecha 2015 com aumento de 48,44% no consumo de etanol

.........

Volume comercializado passou de 156,077 mi de l para 231,696 mi de l.
Competitividade do etanol diante da gasolina impulsionou vendas.
 
MS registrou em 2015 o maior consumo de etanol de sua história, 231,696 milhões de litros
(Foto: Reprodução/TV Morena)
Mato Grosso do Sul encerrou o ano de 2015 com um aumento de 48,44% no consumo de etanol em relação a 2014. O volume comercializado nos postos de combustível passou de 156,077 milhões de litros para 231,696 milhões de litros, de acordo com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Com essa quantidade, o estado registrou no ano a maior venda de etanol hidratado, o combustível que é vendido diretamente nos postos para abastecer os veículos flex e os 100% dedicados, de sua história. Antes, o recorde era de 207,976 milhões de litros, e havia sido obtido em 2009.
saiba mais
Em 11 meses de 2015, MS já registra maior venda de etanol da sua história
Durante 2015, um dos motivos que foi apontado pela Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul) para o aumento das vendas de etanol em relação a 2014, foi a competitividade do biocombustível perante a gasolina.
Em razão da diferença de poder calorífico dos combustíveis, o uso de biocombustível é vantajoso nos motores flex somente se o preço do seu litro estiver abaixo de 70% do valor do litro do combustível fóssil.
A Biosul também procurou destacar que as vantagens do uso do em relação a gasolina vão muito além das questões econômicas. Entre elas está também o aspecto ambiental, já que ao abastecer um veículo flex com o biocombustível em vez do combustível fóssil, o consumidor também colabora com o meio ambiente, reduzindo em até 90% a emissão de gases do efeito estufa pelo seu veículo.
Gasolina na contramão
Enquanto as vendas de etanol aumentaram, as de gasolina retrocederam no estado. O volume na comparação de 2014 para 2015 caiu 7,53%, retrocedendo de 717,740 milhões de litros para 663,753 milhões de litros.

Anderson Viegas
Do G1 MS

Fonte : Globo