.........

MP que pode beneficiar anidro passa no Senado

.........

O plenário do Senado aprovou ontem a Medida Provisória 647, que eleva o percentual de adição de biodiesel no diesel vendido no país para 7% e também autoriza o governo a elevar a "banda" de mistura de etanol anidro na gasolina de entre 18% e 25% para entre 18% e 27,5%. O Senado manteve integralmente o texto aprovado pela Câmara, que agora segue para sanção presidencial.

Originalmente, a MP, encaminhada pelo governo ao Congresso em maio, não previa qualquer alteração da mistura de etanol na gasolina. A "novidade" foi incluída pelo deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP), que foi relator da proposta em comissão especial. A intenção inicial do Planalto era aumentar apenas a proporção de biodiesel no diesel.

Pressionado pelo setor produtivo, o governo vem testando os motores dos veículos que rodam apenas com gasolina para checar a viabilidade técnica de elevar a mistura de etanol anidro no combustível fóssil, atualmente fixada em 25%, para 27,5%. Segundo a indústria automobilística, esse aumento pode comprometer o desempenho dos automóveis.

Mesmo a Unica, que representa usinas sucroalcooleiras do Centro-Sul, não conta com a possibilidade de a elevação da mistura sair neste ano. As usinas criticam a atual política do governo para o segmento. Se queixam de que investiram e foram penalizadas pelo "represamento" do preço da gasolina, que tirou competitividade do etanol hidratado (usado diretamente nos tanques).

"A medida é boa, pois incentiva o aumento da oferta de etanol na gasolina e interfere diretamente na economia brasileira, porque mexe com o preço", disse o senador Walter Pinheiro (PT-BA). O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes (SP), comentou que a medida dá "alento" ao segmento, que vem sofrendo não apenas com secas, mas com "a política errada do governo".

No caso do biodiesel, a Medida Provisória aprovada pelo Senado confirma que o percentual de mistura do produto no diesel aumentará para 7% em novembro. Desde 1º de julho, o percentual, que era de 5%, passou a 6% – limite agora definido como o "piso".

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3680194/mp-que-pode-beneficiar-anidro-passa-no-senado#ixzz3CG80QT5Y

Fonte: Valor | Por Cristiano Zaia | De Brasília