Mosaic conclui aquisição de ativos de fertilizantes da Vale, por US$ 2 bilhões

A multinacional americana Mosaic concluiu ontem a aquisição dos ativos da Vale Fertilizantes em Cubatão (SP). Como parte da transação, o diretor financeiro da Vale, Luciano Siani Pires, ganhou uma cadeira no conselho de administração da americana.

Conforme antecipado pelas empresas na semana passada, alguns ajustes foram realizados nos termos e condições da transação. Agora a mineradora brasileira continuará com sua participação acionária no terminal portuário Tiplam, em Santos (SP), antes incluída na transação, e receberá pelos demais ativos US$ 1,15 bilhão mais 34,2 milhões de ações da Mosaic (papéis que valiam ontem cerca US$ 900 milhões). Depois de emitidas, e uma vez concluída a venda, essas ações representarão 8,9% do capital social da Mosaic.

Em nota, a Vale afirmou que a parceria com a Mosaic fortalece "a exposição da Vale ao mercado mundial de fertilizantes, particularmente nas grandes regiões agrícolas de alto crescimento da América do Norte e do Brasil".

A compra dos ativos de fertilizantes da Vale pela Mosaic foi anunciada em dezembro de 2016, por US$ 2,5 bilhões, e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a operação em agosto de 2017.

A aquisição envolveu cinco minas de fosfato da Vale no Brasil, quatro fábricas de produção de químicos e fertilizantes e uma unidade de potássio, incluindo o projeto de Carnalita. A transação contemplou, ainda, a venda da participação de 40% da Vale na mina de fosfato Miski Mayo, no Peru, elevando a fatia da Mosaic no negócio a 75%; e o projeto de potássio em Kronau, no Canadá.

Com a transação, a Mosaic Fertilizantes passa a operar no mercado da América do Sul com superfosfato (SSP), triplo superfosfato (TSP), fosfato monoamônico (MAP), fosfato dicálcico (DCP) e cloreto de potássio (KCl). A companhia também expande sua atuação no mercado de nutrição animal e passa a atuar em novos mercados, comercializando produtos industriais, como gesso e ácido sulfúrico.

A capacidade de produção anual da Mosaic passa de 20 milhões de toneladas para 27,2 milhões de toneladas de fosfato concentrado e potássio, representando 16,8 milhões de toneladas de fertilizantes fosfatados e 10,4 milhões de toneladas de potássio, respectivamente.

A Mosaic foi desmembrada da Cargill há alguns anos. Atualmente, é uma das maiores companhias de fertilizantes do mundo e mantém participação ao redor de 20% no mercado brasileiro.

Fonte: Valor | Por Kauanna Navarro | De São Paulo