.........

Ministro da Agricultura critica Conab, que pede retratação

.........

Mais tarde, Mendes Ribeiro disse que em nenhum momento se referia ao corpo funcional da Conab

por Globo Rural On-Line, com informações da Agência Estado

Wilson Dias/Agência Brasil

Rotina. Mesmo em tratamento contra um câncer, Ministro afirmou que vai manter as atividades normalmente (Foto: Wilson Dias/Agêcnia Brasil)

O Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento,Mendes Ribeiro Filho, criticou a atuação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira (27/9), ao anunciar que a companhia passará por "mudanças estruturais" após as eleições municipais. O ministro afirmou que as dificuldades enfrentadas pelo governo para remoção de milho do Centro-Oeste para atender criadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e da região Nordeste se deve à "falta de planejamento e preparo da Conab". "Há uma incompetência, uma incapacidade gerencial", disse. “Nunca vi nada igual na minha vida. Esta falta de planejamento e de preparo da Conab como um todo. A Conab tem que mudar e vai mudar. Eu não posso mais conviver com a falta de produto”, criticou o ministro.

A Associação Nacional dos Empregados da Companhia Nacional de Abastecimento (Asnab) reagiu imediatamente, enviando ofício ao ministro contestando as críticas e pedindo "retratação pública pela ofensa ao corpo funcional". A entidade diz que, no caso específico da Conab, o ministro faltou com "lealdade às instituições".
Nos últimos meses, representantes da Conab alegaram problemas com o frete de caminhões, em função de greves no setor, como umas das dificuldades para garantir a distribuição dos grãos. O Exército Brasileiro foi acionado peloMapa para amenizar a escassez de milho no Semiárido nordestino e outras regiões afetadas pela estiagem.
Mendes Ribeiro criticou "a falta de previsão" da estatal para antecipar os problemas que acarretaram o atraso no escoamento do milho para as regiões consumidoras, onde a estiagem do início do ano provocou quebra de safra. Ele não adiantou quais seriam as mudanças e afirmou que as novidades devem ser anunciadas no novo plano de armazenagem que será lançado em breve pelo governo. Questionado sobre a permanência no cargo do atual presidente da Conab, Rubens Rodrigues dos Santos, o ministro respondeu: "eu não sei".
O presidente da Asnab, Sérgio Camelo, rebateu as críticas argumentando que a responsabilidade de elaborar aspolíticas públicas é do próprio ministro Mendes Ribeiro, seguindo as orientações de governo. "Se existe alguma incompetência não é da Conab", diz Camelo, acrescentando que o problema de abastecimento do milho decorre da falta de planejamento do próprio Ministério de Agricultura, que deveria ter assegurado os recursos necessários. Ele diz que o Brasil carece de uma política nacional de abastecimento, que defina, por exemplo, qual seria o volume de estoque necessário para enfrentar uma situação de calamidade.

Nota

Diante do pedido de "retratação pública" feito pela Conab, o ministro divulgou nota em que argumenta que nas declarações públicas "em nenhum momento se referia ao corpo funcional da Conab". O ministro informou que reconhece as dificuldades enfrentadas pela companhia e reitera a necessidade da reestruturação administrativa, "através de um planejamento estratégico – já em execução conjunta com a própria diretoria da Conab – no intuito de torná-la eficiente, moderna e valorizada dentro de um cenário positivo da agricultura brasileira".
Mendes Ribeiro afirmou na nota que "O Estado tem que estar à frente dos problemas e será através de um Plano Nacional de Abastecimento que vai concretizar novas expectativas para o crescimento do País".

Tratamento

Mendes Ribeiro convocou a imprensa para falar do tratamento ao qual se submete contra um câncer. Ele já começou a tomar um medicamento que provoca queda de cabelo. "Prefiro ficar vivo e careca", disse o ministro, que afirmou estar se sentindo melhor com o novo medicamento, pois não tem os mesmos efeitos colaterais do remédio anterior, que provocava fadiga e problemas estomacais. Mendes disse que manterá sua rotina de trabalho inalterada e que, por enquanto, vai apenas "parar de jogar futebol". Ele afirmou que tem uma viagem ao Japão programada para 8 de novembro, onde vai manter contatos sobre a abertura de mercado para produtos brasileiros.
Em relação ao retorno das restrições do governo argentino à importação de carne suína do Brasil, Mendes Ribeiro disse que o problema deve ser contornado, pois o governo está discutindo cotas para importações de cítricos da Argentina.

Fonte: Globo Rural