.........

Ministério terá adido agrícola na Arábia Saudita ainda neste ano, diz Maggi

.........

Blairo Maggi afirmou que pessoas serão contratadas localmente para atender demandas dos países árabes

Blairo Maggi afirmou que pessoas serão contratadas localmente para atender demandas dos países árabes | Foto: Twitter / Reprodução / CP

Blairo Maggi afirmou que pessoas serão contratadas localmente para atender demandas dos países árabes | Foto: Twitter / Reprodução / CP

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, postou, na manhã desta segunda-feira, um vídeo no qual informa que o Brasil terá ainda neste ano um adido agrícola na Arábia Saudita e representantes contratados para cuidar dos interesses setoriais nos países árabes.

"Tem muita coisa boa aqui, o Brasil tem presença grande, mas precisa ampliar. É nítido que quem faz negócios é quem tem amizade, quem tem a presença no dia a dia, e nós vamos colocar, aqui, na Arábia Saudita, ainda este ano, um adido agrícola e vamos ter pessoas contratadas localmente para poder atender as demandas desses países (árabes)", relata o ministro no

vídeo.

Maggi afirmou ainda que Brasil tem grandes chances de ampliar seus negócios com os países árabes, "mas também precisa investir, precisa estar presente, estar aqui olhando as coisas e dando as respostas", disse. "O árabe é amigo e compra de quem é amigo. O Brasil é amigo dos árabes e precisamos estar presentes aqui", concluiu.

O ministro encerra nesta segunda a visita a missão a quatro países árabes – Arábia Saudita, Catar, Kuwait e Emirados Árabes – iniciada dia 11. Ele deve reassumir o cago na quarta-feira.

A missão foi feita justamente para agradecer a retomada do mercado de carnes pelos países, após a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, e reforçar os laços comerciais. Durante o período em que esteve ausente, o Ministério da Agricultura voltou a ser alvo de duas operações da Polícia Federal (Fugu e Lucas) que investigaram, assim como na Carne Fraca, o envolvimento de fiscais da Pasta em suspeitas de corrupção com frigoríficos.

Fonte: Correio do Povo