.........

Ministério da Agricultura suspende importações de leite em pó do Uruguai

.........

Ana Paula Paiva/Valor

Sob forte pressão de bancada ruralista e de entidades de produtores nos últimos meses, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse ontem que suspendeu as importações de leite em pó do Uruguai para que o governo brasileiro investigue denúncias de suposta triangulação do produto entre o vizinho sul-americano e outros países.

A suspensão será por tempo indeterminado, "até que o Uruguai consiga provar se todo o leite que chega no Brasil é realmente de lá", disse Blairo. De janeiro a julho, as importações brasileiras de leite ultrapassaram 40 mil toneladas, abaixo das cerca de 50 mil toneladas de leite em pó de igual período do ano passado.

Em evento em agosto em São Paulo, Blairo já havia comunicado ao ministro uruguaio da Agricultura que o governo brasileiro vinha estudando medidas "duras".

"Os produtores reclamam muito da quantidade de leite importado do Uruguai e há uma suspeita de que nem todo o leite venha de lá. Então decidimos suspender as guias de importação e dar um fôlego ao setor de leite do Brasil", disse o ministro, após almoço com deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), em Brasília. De acordo com o ministro brasileiro, a Secretaria de Defesa Agropecuária estava pronta para tomar as providências para não emitir mais guias.

Após participar do almoço com a bancada ruralista, Blairo ainda lembrou que a decisão de suspender as importações veio depois da tentativa do Brasil – que até agora não se mostrou bem-sucedida – de negociar a imposição de cotas à importação de leite do Uruguai, a exemplo do que acontece com a Argentina. "Mas os uruguaios não se sentem confortáveis com cotas. Então, vamos trabalhar inclusive para retirar o leite do Mercosul já que a situação está insuportável", afirmou o ministro da Agricultura.

Uma segunda solução para o problema seria a criação de uma linha de financiamento para estocagem de leite para cooperativas, que foi sugerida ao ministro por parlamentares no almoço de ontem.

Fonte : Valor