Ministério da Agricultura continua em reforma

Fonte: Valor | Por Tarso Veloso | De Brasília

Quase um mês e meio após assumir o Ministério da Agricultura, o ministro Mendes Ribeiro continua montando sua equipe. Ao todo, já foram 11 nomeações na Pasta desde a posse, em 23 de agosto. Apesar das modificações, algumas reformas prometidas, como a extinção do cargo de secretário de Defesa Agropecuária, ainda não saíram do papel.

As maiores mudanças ocorreram em seis Superintendências Federais. A superintendência da Bahia foi assumida pela pedagoga Virgínia Alice Almeida Hagge. Ela é filiada ao PMDB e renunciou ao mandato de vereadora em Itapetinga em 2007 para assumir a cadeira de deputada estadual.

A superintendência do Distrito Federal ficou definitivamente com Alfredo Barbosa dos Santos, que estava no cargo interinamente desde o mês de maio, quando o superintendente anterior, Ubiratan Rodrigues Nogueira, faleceu. No Maranhão, o novo superintendente é Antonio José dos Santos.

Na superintendência do Piauí, assume o peemedebista Marco Aurélio Ribeiro Paes Landim, que substituirá Aurino Antonio Nunes Guimarães. Seu nome foi apresentado pelo líder da bancada federal do Piauí, deputado federal Marcelo Castro (PMDB). No Estado de Roraima, Divino Carlos Gouvêa assume a superintendência.

As indicações acabaram provocando atrito dentro do próprio PMDB de Santa Catarina. O Valor apurou que o novo superintendente no Estado, Joel Paulo Perotto, foi indicado pelo deputado Celso Maldaner (PMDB-SC). Segundo uma fonte, o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) queria indicar outro nome.

O diretor do Departamento de Café do Ministério da Agricultura, Robério Silva, foi eleito presidente da Organização Internacional do Café (OIC), e seu lugar no ministério deverá ser ocupado pelo ex-deputado Silas Brasileiro.

Mendes Ribeiro já bateu o martelo e decidiu o novo diretor financeiro da Conab. O juiz militar aposentado João Carlos Bona Garcia assumirá o cargo, vago desde a saída de Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) e pivô de denúncias de irregularidades e acusações de desvios de recursos que culminaram com a queda do então ministro Wagner Rossi. A função estava a cargo do atual diretor administrativo da Conab, Rogério Abdalla, amigo de Rossi.

As nomeações políticas devem continuar tanto na Conab quanto nas superintendências federais. O Valor apurou que o PTB já apresentou uma lista de eventuais substitutos do atual presidente da Conab, Evangevaldo Moreira dos Santos, indicado pelo líder do partido na Câmara, Jovair Arantes (GO). PT e PMDB também se movimentam nos bastidores para ocupar espaços na cobiçada estatal. Enquanto isso, o PMDB corre para não perder espaço no ministério.

O novo secretário-executivo, José Carlos Vaz deixou a Secretaria de Política Agrícola. Em seu lugar assumiu o posto Caio Tibério Dornelles da Rocha. O ministro Mendes Ribeiro decidiu nomear o engenheiro agrônomo para o cargo após a ida do antigo secretário, José Carlos Vaz, para a secretaria-executiva da Pasta.

Caio Rocha já foi presidente da Emater (RS), secretário da Agricultura do Estado durante a gestão do peemedebista Germano Rigotto (2003-2007) e coordenador de bancada do PMDB na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Antes de assumir o cargo foi assessor especial do ministro Mendes Ribeiro.

Também houve mudanças na assessoria especial, com a nomeação de Magali Barbiani para chefiar a comunicação e o chefe de gabinete, Aluízio Davis Neto.