.........

MILHO – Exportação de milho cai 73,8% no primeiro semestre

.........

Apenas o Irã aumentou as compras do cereal brasileiro, que no período não teve embarques para Taiwan e Arábia Saudita

milho_graos_carregamento (Foto: Ernesto de Souza / Ed. Globo)

Brasil ampliou participação no mercado iraniano, mas exportações de milho perderam espaço no Japão, Taiwan e Arábia Saudita (Foto: Ernesto de Souza / Ed. Globo)

As exportações brasileiras de milho no primeiro semestre deste ano somaram 3,214 milhões de toneladas, volume 73,8% inferior às 12,263 milhões de toneladas embarcadas nos primeiros seis meses do ano passado, um volume recorde para o período. A receita encolheu 72,8% para US$ 561,4 milhões.

Entre os principais compradores, apenas o Irã aumentou a importação do cereal brasileiro, que cresceu 23,3% para 2,052 milhões de toneladas, que corresponde a 64% do total embarcado. No ano passado, o Irã respondeu por 14% dos embarques. A receita das vendas para o mercado iraniano no primeiro trimestre teve um incremento de 25,7% para US$ 352,2 milhões.

O Japão, que foi o segundo maior mercado nos primeiros seis meses do ano passado, com importação de 1,906 milhão de toneladas (receita de US$ 322,3 milhões), neste ano importou apenas 15,8 mil toneladas, ao valor de US$ 3,1 mil.
Terceiro maior mercado no primeiro semestre do ano passado (1,589 milhão de toneladas e receita de US$ 261,9 milhões), o Vietnã reduziu suas compras em 78,2% para 346 mil toneladas, ao valor de US$ 55,4 milhões.

Países importantes como Taiwan e Arábia Saudita não importaram milho brasileiro no primeiro semestre deste ano. Coreia do Sul reduziu em 93,6% (para 63,3 mil toneladas) e Egito em 97,2% (para 23,3 mil toneladas).

A redução das exportações de milho no primeiro semestre se deve em parte ao aumento de 5,421 milhões de toneladas (12%) nos embarques de soja, que atingiu o volume recorde de 43,9 milhões de toneladas.

Outro fator foi a safra recorde norte-americana de milho. Os Estados Unidos exportaram 46,3 milhões de toneladas do cereal no primeiro semestre deste ano, volume 23,5% superior ao exportado em igual período do ano passado.

O crescimento mais expressivo das exportações norte-americana foi para a Coreia do Sul. O volume aumentou em 3,396 milhões de toneladas (197%) para 5,121 milhões de toneladas.

Para o mercado de Taiwan os embarques dos Estados Unidos aumentaram 86% (para 1,356 milhão de toneladas) e para a Arábia Saudita 89% (para 1,107 milhão de toneladas). As vendas dos EUA para o Japão cresceram 27% (2,112 milhões de toneladas), para 9,946 milhões de toneladas.

As exportações brasileiras devem acelerar no segundo semestre, com a entrada no mercado da produção recorde do cereal de segunda safra, que está em fase inicial de colheita. No porto de Santos, a programação de navios aponta para o embarque de 800 mil toneladas neste mês. A administração do porto de Paranaguá prevê embarques de 1,2 milhão de toneladas de milho entre julho e agosto.

POR VENILSON FERREIRA