MERCADO E CIACAFÉMILHO – ABERTURA DO MERCADO – Soja tem preços melhores no Brasil, mas negócios são limitados

Canal Rural, com informações da Agência Safras e Somar Meteorologia

Fonte:Embrapa/divulgação

Dólar e Bolsa de Chicago subiram, favorecendo vendas futuras. Confira as principais notícias sobre mercado agropecuário, câmbio e previsão do tempo para começar o dia bem informado

O mercado brasileiro de soja teve um dia preços em leve alta na maioria das praças, mas com negócios limitados. Dólar e Chicago subiram, favorecendo uma melhor movimentação para vendas futuras. No disponível, a falta de caminhões e a elevação nos fretes tornam as negociações pouco atrativas.

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira, dia 20, com preços em alta. Após as perdas de mais de 2% da segunda, dia 19, quando o mercado bateu no pior nível em um mês, o dia foi de recuperação com base em fatores técnicos.

O bom desempenho do petróleo no mercado internacional – o barril registrou alta de mais de 2% no fechamento de Chicago – contribuiu para a elevação.

Na segunda-feira, as chuvas na Argentina deflagraram um forte movimento de vendas. O relatório de compromissos de fundos e casas corretoras apontou um elevado volume de posições compradas. A expectativa já era de uma correção. As precipitações serviram de pretexto, já que a quebra da safra argentina é irreversível.

 

Soja na Bolsa de Chicago (CBOT) – US$ por bushel

  • Maio/2018: 10,28 (+5,75 cents)

  • Julho/2018: 10,39 (+5,5 cents)

Soja no mercado físico – R$/saca de 60 kg

  • Passo Fundo (RS): 73,70

  • Cascavel (PR): 71,00

  • Rondonópolis (MT): 67,00

  • Dourados (MS): 67,50

  • Porto de Paranaguá (PR): 78,50

  • Porto de Rio Grande (RS): 79,20

  • Santos (SP): 79,00

  • São Francisco do Sul (SC): 79,00

Fonte: Safras & Mercado

Boi

A rodada de baixa na arroba começa a surtir efeito nos balcões de compras. No estado de São Paulo, frigoríficos conseguem praticar as referências até R$ 3 a menos por arroba em relação à semana passada e, inclusive, já trabalham para completar as programações da semana próxima.
O feriado da sexta-feira da próxima semana, dia 30, em que muitas industrias não abaterão, também deve facilitar os trabalhos dos compradores de gado. Segundo a XP Investimentos, as escalas firam em torno de 5,7 dias úteis para as grandes indústrias e 3,6 dias úteis para as pequenas e médias.
O ambiente "confortável" nos balcões se dá pelo aumento gradual de oferta, em virtude da proximidade do pico de safra, e também da demanda lenta de carne no mercado interno. Todavia, o cenário ainda é de alerta para a maioria das indústrias, visto que os altos estoques de carne, principalmente desossada, e o estreitamento das margens de operação dos frigoríficos não permitem um avanço de maneira geral.

Boi gordo no mercado físico – R$ por arroba
(pagamento à vista)

  • Araçatuba (SP): 145,00

  • Belo Horizonte (MG): 138,00

  • Goiânia (GO): 134,00

  • Dourados (MS): 133,00

  • Mato Grosso: 129,00 – 133,00

  • Marabá (PA): 128,00

  • Rio Grande do Sul (oeste): 4,75 (kg)

  • Paraná (noroeste): 141,00

  • Tocantins (norte): 126,00

Fonte: Scot Consultoria e XP Investimentos

Milho

O mercado brasileiro de milho teve preços pouco alterados nesta terça-feira, dia 20. Segundo o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, os consumidores no geral tentam esfriar o mercado, atuando de maneira mais discreta.
"A possibilidade de a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) divulgar o edital do leilão de venda no decorrer desta semana acaba afetando a tomada de decisão, tanto de produtores, quanto de consumidores. O fato é que em muitas localidades o foco permanece na comercialização da soja”, afirma Iglesias.
Chicago
Fecharam em baixa os contratos futuros para o milho na Bolsa de Chicago nesta terça. O mercado observou as previsões de chuvas na Argentina, que podem aliviar a situação das lavouras do país. A estiagem recente prejudicou a safra e provocou a redução das expectativas.
Nem mesmo a boa demanda para o cereal norte-americano e a forte valorização nos preços do petróleo, que supera 2,4% em Nova York, permitiram que as cotações fechassem no território positivo. Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 110.000 toneladas de milho ao Peru, com entrega na temporada 2017/2018.

 

Milho na Bolsa de Chicago (CBOT) – US$ por bushel

  • Maio/2018: 3,74 (-0,5 cent)

  • Julho/2018: 3,82 (-0,75 cent)

Milho no mercado físico – R$/saca de 60 kg

  • Rio Grande do Sul: 42,00

  • Paraná: 39,00

  • Campinas (SP): 43,00

  • Mato Grosso: 28,00

  • Porto de Santos (SP): 34,00

  • Porto de Paranaguá (PR): 33,50

  • São Francisco do Sul (SC): 33,50

Fonte: Safras & Mercado

Café

O mercado brasileiro de café teve uma terça-feira de preços estáveis, com movimentação limitada. Na parte da manhã houve um pouco mais de atividade, mas travada pela queda de Nova York no arábica e de Londres no robusta. A perda externa foi neutralizada pela alta do dólar, daí a estabilidade no mercado físico nacional.
Nova York
As operações com café arábica na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) encerraram a terça-feria com preços moderadamente mais baixos. O mercado teve uma sessão volátil, esboçou nova subida, mas não conseguiu superar a resistência em US$ 1,20 a libra-peso para maio e terminou recuando tecnicamente.
Segundo o consultor de Safras & Mercado Gil Barabach, como nas duas últimas subidas o mercado não conseguiu voltar à linha de US$ 1,20, acabou fraquejando e se acomodando nesses níveis mais baixos. A alta do dólar contra o real contribuiu para as perdas do arábica em Nova York, disse Barabach.
Londres
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) encerrou as operações da terça para o café robusta com preços moderadamente mais baixos. Segundo traders, o mercado londrino acompanhou o desempenho do arábica em Nova York , que perdeu força ao longo da sessão após esboçar uma alta. Da mesma forma, o robusta encontrou resistência e acabou recuando tecnicamente.

 

Café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) – em cents por libra-peso

  • Maio/2018: 118,95 (-0,4 cent)

  • Julho/2018: 121,05 (-0,4 cent)

Café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) – em US$ por tonelada

  • Maio/2018: 1.754 (-US$ 3)

  • Julho/2018: 1.783 (-US$ 2)

Café no mercado físico – R$ por saca de 60 kg

  • Arábica/bebida boa – Sul de MG: 425-430

  • Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: 430-435

  • Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: 390-395

  • Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): 298-300

Fonte: Safras & Mercado

Dólar e Ibovespa

O dólar comercial fechou a negociação em alta de 0,73%, cotado a R$ 3,307 para compra e a R$ 3,309 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,281 e a máxima de R$ 3,312.
O Ibovespa encerrou em alta de 0,3%, aos 84.163,8 pontos. O volume negociado foi de R$ 8,138 bilhões.

Previsão do tempo

Sul

A massa de ar seco avança sobre o Rio Grande do Sul e mantém o tempo firme na maior parte do estado. A exceção fica por conta da faixa norte gaúcha, por conta de uma área de instabilidade em altitude que espalha nuvens carregadas sobre essas áreas.
Além disso, chove em Santa Catarina e no Paraná, especialmente na faixa leste e litoral dos dois estados. Não se descartam temporais com queda de granizo.

Sudeste

Pouca coisa muda durante a quarta-feira, ainda sob a influência da frente fria que avança pela costa da região. As pancadas de chuva ocorrem a qualquer hora do dia e ganhma força até o fim da noite, especialmente no litoral sul de São Paulo e leste de Minas Gerais, onde pode haver risco para temporais e queda de granizo.
Já em áreas do nordeste mineiro, o tempo firme segue predominando por conta de uma massa de ar seco.

Centro-Oeste

O tempo ainda segue bastante instável em toda a região, por conta da atuação da Alta da Bolívia e também com a formação de uma área de instabilidade no alto da atmosfera.
A chuva ocorre com maior intensidade e com acumulados mais expressivos no leste de Goiás, nos arredores da capital do estado. Nas demais áreas, a chuva até ocorre de forma generalizada, mas com volumes menores.

Nordeste

Com a formação de uma área de baixa pressão atmosférica na costa da Bahia e também com uma área de instabilidade a mais de 10 km sobre Pernambuco, as nuvens carregadas se espalham pela região ao longo do dia.
No entanto, a chuva ocorre em forma de pancadas rápidas e isoladas, com exceção da faixa norte entre o Maranhão, Piauí e Ceará. Ali, ocorre de forma mais volumosa e com risco para temporais. O tempo firme continua predominando em Vitória da Conquista (BA).

Norte

A formação de duas áreas de baixa pressão atmosférica mantém o tempo nublado e com chuva na quarta-feira. Os maiores acumulados de chuva se concentram em áreas do Acre, no sul do Amazonas e no nordeste do Pará, onde há risco para temporais e alguns transtornos à população.

Fonte : Canal Rural