.........

MERCADO E CIAAGRICULTURANOTÍCIAS – FECHAMENTO DO MERCADO – Soja: mesmo com alta em Chicago, mercado brasileiro segue indefinido

.........

Fonte:Roberto Kazuhiko Zito/Embrapa

Os preços permaneceram estagnados no Brasil, influenciados pela queda do dólar e da cotação no mercado dos EUA.

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam com preços mais altos nesta quarta-feira. O mercado teve um dia volátil, mas o movimento de recuperação técnica após as recentes perdas predominou e garantiu a elevação.

O mercado segue focado no clima nos Estados Unidos. Os mais recentes

boletins seguem apontando condições favoráveis ao desenvolvimento das

lavouras no mês de agosto, período decisivo para definir o potencial produtivo da safra americana. A previsão de chuvas e temperaturas adequadas limitou a elevação.

Já mercado brasileiro teve um dia de escassos negócios, com diferentes tipos de comportamentos. Em algumas praças, a alta de Chicago predominou sobre as cotações. Em outras, a queda do dólar pesou sobre os referenciais.

Soja na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)

  • Agosto/17: 9,88 (+7,25)

  • Setembro/17: 9,93 (+7,75)

Soja no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

  • Passo Fundo (RS): 67,50

  • Missões (RS): 67,00

  • Cascavel (PR): 64,50

  • Rondonópolis (MT): 60,00

  • Dourados (MS): 58,50

  • Rio Verde (GO): 61,00

  • Porto de Paranaguá: 72,50

  • Porto de Rio Grande (RS): 72,00

  • Porto de Santos (SP): 72,00

  • Porto de São Francisco do Sul (SC): 72,00

Milho

O milho registrou preços mais altos em Chicago. O mercado buscou

recuperação, acompanhando o desempenho da soja e do trigo, buscando suporte na boa alta de preços do petróleo, com o anúncio de corte nos estoques norte-americanos.

Milho na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)

  • Setembro/17: 3,72 (-4,25 cents)

  • Dezembro/17: 3,86 (-4,00 cents)

Milho no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

  • 1.

    Rio Grande do Sul: 28,00

  • 2.

    Paraná: 22,00

  • 3.

    Campinas (SP): 26,00

  • 4.

    Mato Grosso: 16,50

  • 5.

    Porto de Santos (SP): 27,00

  • 6.

    Porto de Paranaguá (PR): 27,00

  • 7.

    Porto de Imbituba (SC): 27,00

Café

A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações da quarta-feira com preços acentuadamente mais altos. O mercado teve uma sessão de recuperação técnica após as fortes perdas dos últimos dias.

Segundo o consultor de Safras & Mercado, Gil Barabach, os ganhos estiveram mais atrelados a aspectos "financeiros". O petróleo subiu e puxou para cima o índice de commodities CRB e o café arábica seguiu o movimento. NY não conseguiu romper para baixo a linha de US$ 1,30 a libra-peso, ganhando força para uma reação técnica.

Setembro – 134,80 – +4,20

Dezembro – 138,35 – + 4,15

 

Café arábica em Nova York (centavos por libra-peso)

  • Setembro/17: 134,80 (+4,20 cents)

  • Dezembro/17: 138,35 (+4,15 cents)

Café no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

  • Arábica/bebida boa – Sul de MG: 460-465

  • Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: 465-470

  • Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: 415-420

  • Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): 405-410

Dólar e Bovespa

O dólar comercial fechou a sessão com baixa de 0,78%, cotado a R$ 3,1420 para compra e a R$ 3,1440 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,1380 e a máxima de R$ 3,1780.

O índice Bovespa fechou o dia com queda de 1%, aos 65.010 pontos.

  • Fábio Santos, com informações da Safras & Mercado
  • Fonte : Canal Rural