.........

Melhores da Terra premia o setor agrícola

.........

Gaúchos levaram seis dos nove troféus entregues pelo Grupo Gerdau

Luiz Eduardo Kochhann

CLAITON DORNELLES/JC

Maior prêmio da América do Sul para o setor de máquinas e implementos agrícolas foi realizada ontem

Maior prêmio da América do Sul para o setor de máquinas e implementos agrícolas foi realizada ontem

As empresas do Rio Grande do Sul dominaram, mais uma vez, o Prêmio Gerdau Melhores da Terra, levando para casa seis dos nove troféus. Entre eles, um dos mais importantes, o Troféu Ouro da divisão de Agricultora Familiar foi vencido pela plantadora mecânica PDM PG900 fabricada pela empresa Kuhn, de Passo Fundo. A cerimônia da maior premiação da América do Sul para o setor de máquinas e implementos agrícolas foi realizada ontem, em Sapucaia do Sul, com objetivo de destacar produtos e projetos de qualidade no agronegócio.
Em 2014, foram 759 inscritos: 52 máquinas e equipamentos e 707 trabalhos científicos, cinquenta a mais que em 2013. Para realizar a análise, a comissão julgadora, composta por professores e pesquisadores de diversas instituições brasileiras, percorreu mais de 39 mil quilômetros no Brasil e na Argentina, entrevistando 272 agricultores. O coordenador dos técnicos que realizaram as avaliações, o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Renato Levien, destacou os investimentos em agricultura de precisão e armazenagens de grãos observados neste ano.
A New Holland, de Curitiba, ganhou o Troféu Ouro na divisão de Agricultura de Escala, com a colheitadeira de duplo rotor CR6080. O equipamento foi escolhido pela alta capacidade de colheita, inclusive em relevo ondulado. O vice-presidente para América Latina, Alessandro Maritano, destacou o bom momento vivido pelo agronegócio nacional como garantidor da estabilidade na venda de máquinas e implementos. “A produção agrícola vai seguir crescendo por meio de dois fatores chave: expansão da terra e aumento da produtividade. Ou seja, os agricultores vão precisar cada vez mais de mecanização”, afirmou.
Os dois troféus de Prata, nas categorias de Escala e Familiar, também foram entregues à empresas gaúchas. Respectivamente, as vencedoras foram a Marcher, de Gravataí , com a embolsadora de grãos Ingrain 100, por ajudar a diminuir o desequilíbrio entre o aumento da produção de grãos e a capacidade de armazenamento, considerado um dos gargalos da agricultora brasileira; e o classificador de sementes CA 25 especial, da Vence Tudo, de Ibirubá, por melhorar a conservação e garantir a qualidade da semeadura.

Crescimento no segundo semestre não recuperará perdas, projeta André Gerdau Johannpeter

Durante a entrega do Prêmio Melhores da Terra, o diretor-presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter, afirmou que a economia deve voltar a crescer no segundo semestre, mas que a recuperação não será suficiente para garantir um saldo positivo no final do ano. Gerdau culpou o câmbio desfavorável e lamentou o processo de “desindustrialização” que assola o País em decorrência do mau momento da economia.
Questionado se os números do IBGE, que indicaram crescimento industrial de 0,7% em julho, representavam algum alento para o setor, Gerdau foi reticente. “É difícil dizer o que representa, pois é só um mês após várias quedas. Frente a esse cenário, precisamos ter mais três ou quatro meses fortes de crescimento para compensar o primeiro semestre. Tenho conversado com clientes e acredito em recuperação, mas não será o suficiente para suprir as perdas.”
Sobre a balança comercial, o executivo também reclamou das importações de aço oriundo da China e disse que o câmbio “apreciado”, por outro lado, tem dificultado as exportações. “Esse processo tem afetado o setor metal mecânico de uma maneira geral. Este ano, por exemplo, aumentamos em 65% as importações chinesas, o que gera competição e influencia negativamente o cenário atual.”
A exceção sobre o momento negativo, de acordo com o empresário, é o agronegócio, mesmo com a deficiente infraestrutura para escoamento da produção. “A safra vai bater novos recordes. Acredito que esse crescimento deve se manter em longo prazo devido ao aumento da demanda, principalmente asiática, e o setor metalmecânico deve acompanhar essa tendência por fazer parte da cadeia”, completou.

Ministro da Agricultura participa de reuniões de trabalho nesta quinta-feira na Expointer

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está com dois estandes na Expointer. Um deles, com 100 m2, está localizado no Pavilhão Internacional, onde estão representantes da Superintendência Federal de Agricultura (SFA) do Rio Grande do Sul, juntamente com outros órgãos coligados ao Ministério da Agricultura, como a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a Embrapa Gado de Corte, entre outros.
O segundo estande abriga a Casa da Tecnologia. No local, serão realizadas palestras e reuniões, com a presença do ministro da Agricultura, Neri Geller, que visita a feira hoje e amanhã. Nesta quinta-feira, serão lançadas normas técnicas específicas para a produção integrada de tabaco, às 16h, na Casa da Embrapa. Pela manhã, o Mapa realiza, no auditório do Parque de Exposições Assis Brasil, o 3º Fórum Internacional de Sanidade e Bem-Estar Animal, que terá como tema Bem-estar animal versus produção. O fórum prossegue à tarde, na Casa do Veterinário.
O objetivo do Mapa nesta Expointer é apresentar trabalhos desenvolvidos em relação à agricultura de precisão, boas práticas agropecuárias, inovação tecnológica e assistência técnica. São tecnologias que auxiliam os agricultores e pecuaristas.

Fonte: Jornal do Comércio |