Medida Provisória libera R$ 380 milhões para subsídio a etanol

Valor deve cobrir encargos financeiros da União decorrentes do pagamento de subvenção econômica às unidades industriais de etanol combustível do Nordeste

Emerson Souza

Foto: Emerson Souza / Agencia RBS

Produção de etanol alcançou 1,28 bilhão de litros na segunda quinzena de junho deste ano

O governo federal publicou nesta quarta, dia 10, no Diário Oficial da União, a Medida Provisória 622, que abre crédito extraordinário no valor de R$ 380 milhões para cobrir os encargos financeiros da União decorrentes do pagamento de subvenção econômica às unidades industriais produtoras de etanol combustível da região Nordeste.
Segundo o texto, o recurso está sob a supervisão do Ministério da Agricultura e é resultado de anulação parcial de dotação orçamentária, prevista em reserva de contingência.
Etanol teve 58,1% da oferta de cana na segunda quinzena de junho

As usinas do Centro-Sul do Brasil mantiveram a tendência de priorizar a produção de etanol na segunda quinzena de junho. De acordo com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), 58,10% da oferta de cana foi destinada à fabricação do biocombustível no período – na mesma quinzena da temporada passada, esse porcentual foi de 52,21%. Com relação ao açúcar, a proporção de matéria-prima utilizada representou 41,9% do total ofertado, bem menos do que os 47,79% observados na segunda quinzena de junho de 2012.
No acumulado desde o início desta safra até 1º de julho, a proporção de cana-de-açúcar destinada para a produção de açúcar totalizou 41,85%, o segundo menor mix verificado nas dez últimas safras – apenas na safra 2008/2009 houve um índice inferior ao registrado até o momento neste ano, informou a Unica. Quanto ao etanol, o mix no acumulado do atual ciclo está em 58,15%.
Para o diretor técnico da entidade, Antonio de Padua Rodrigues, "se fizermos um exercício simples, extrapolando a tendência observada até agora para as quinzenas subsequentes da atual safra, concluímos que todo o crescimento esperado de moagem poderá ser direcionado para a produção de etanol".
Assim, apesar da retração na moagem, a produção de etanol alcançou 1,28 bilhão de litros na segunda quinzena de junho deste ano, aumento de 5,98% em relação ao volume apurado na mesma data de 2012. Desse volume, 700,27 milhões de litros referem-se ao hidratado (queda de 2,19% na comparação anual) e 578,35 milhões de litros ao anidro (17,90%).
Segundo Rodrigues, "chama a atenção a produção acumulada de etanol anidro, que mais do que dobrou em relação à última safra". Esse indicador evidencia o comprometimento do setor para atender o aumento do nível de mistura de etanol na gasolina, além de eliminar quaisquer dúvidas sobre a capacidade de produção de etanol anidro pelas indústrias, afirmou.
Vendas de etanol crescem 33,46%
As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil somaram 2,24 bilhões de litros em junho, alta de 33,46% ante o volume vendido no mesmo mês de 2012 (1,68 bilhão de litros), de acordo com a Unica). Do volume total comercializado, 469,81 milhões de litros destinaram-se às exportações e 1,77 bilhão de litros ao mercado doméstico.
No mercado interno, os volumes comercializados de etanol anidro e de etanol hidratado em junho totalizaram, respectivamente, 738,99 milhões de litros e 1,03 bilhão de litros (crescimento de 17% na comparação anual).
Na segunda metade de junho, o menor preço do etanol hidratado nas bombas estimulou as vendas e o volume de hidratado comercializado pelas usinas alcançou 545,72 milhões de litros, expressiva alta de 12,82% em relação aos primeiros 15 dias do mês (483,69 milhões de litros) e crescimento de 26,37% no comparativo com a mesma quinzena de 2012, quando foram vendidos 431,83 milhões de litros, complementou a Unica.
Produção de açúcar recua 16,36%
A produção de açúcar, por sua vez, recuou 16,36% na quinzena, totalizando 1,5 milhão de toneladas, em comparação com 1,80 milhão de toneladas registradas na mesma data da safra 2012/2013.
No acumulado desde o início da temporada 2013/2014 até 1º de julho, a fabricação de açúcar atingiu 8,90 milhões de toneladas (+32,96%), enquanto que a produção de etanol alcançou 7,61 bilhões de litros (+57,94%), dos quais 4,64 bilhões de litros de hidratado (+38%) e 2,97 bilhões de litros de anidro (+103,98%).
Moagem de cana cai 17,5%

O volume de cana-de-açúcar processado pelas usinas do Centro-Sul do Brasil totalizou 29,1 milhões de toneladas na segunda quinzena de junho. Trata-se de uma queda de 17,5% em relação à quinzena anterior (35,28 milhões de toneladas) e recuo de 8,20% na comparação com igual período do ciclo passado (31,70 milhões de toneladas).
De acordo com o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, "essa retração na moagem ocorreu por causa das chuvas que atingiram severamente algumas regiões produtoras, impedindo a operacionalização da colheita". Na última quinzena de junho, a incidência das precipitações foi bastante heterogênea. Em alguns locais, o aproveitamento de moagem foi próximo de zero, enquanto em outras localidades o impacto das chuvas foi muito pequeno, acrescentou ele.
No acumulado desde o início da atual safra, em abril, até 1º de julho, o processamento de cana alcançou 180,98 milhões de toneladas, crescimento de 40,98%, ou de 52,60 milhões de toneladas, ante igual período de 2012/2013. Ainda assim, permanece 16,11% inferior ao registrado na safra 2010/2011 (215,73 milhões de toneladas), quando as usinas do Centro-Sul processaram um total de 556,95 milhões de toneladas.

Agência Estado

Fonte: Ruralbr