.........

Lucro líquido da Jussara teve alta de 141% em 2016

.........

Num ano em que boa parte dos laticínios nacionais reduziu a captação de leite em decorrência da menor oferta de matéria-prima no país e da recessão econômica, a Usina de Laticínios Jussara obteve seus melhores resultados em 2016. O lucro líquido da empresa subiu quase 141%, saindo de R$ 18,696 milhões em 2015 para R$ 45,047 milhões no ano passado. A receita líquida também teve avanço expressivo, de 23,8%, para R$ 833,042 milhões, segundo balanço publicado ontem.

"Foi nosso melhor ano em termos de resultados. O faturamento bruto ficou perto de R$ 1 bilhão e tivemos boa rentabilidade num ano difícil", afirmou Laércio Barbosa, diretor da Jussara, que tem sede em Patrocínio Paulista (SP). Isso ocorreu, segundo ele, porque 2016 foi "um ano bom para o mercado de leite longa vida", diferentemente do que ocorreu com outros lácteos, como iogurtes.

A menor oferta de matéria-prima para processamento – houve queda de 3,7% na produção de leite no país em 2016, segundo o IBGE – levou à alta dos preços do leite longa vida durante boa parte do ano, o que garantiu margens favoráveis à Jussara, uma vez que o produto é o mais relevante de seu portfólio. O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) da empresa foi de R$ 102,9 milhões em 2016, alta de 110,2% sobre o ano anterior.

Apesar da produção menor de matéria-prima no país, a Jussara elevou sua captação de leite em 2,8% sobre o ano anterior, o que lhe permitiu ampliar os volumes comercializados em 5% em 2016, com preços, em média, 20% a 22% maiores na comparação com o ano anterior. E como outras empresas diminuíram volumes, a Jussara conseguiu ocupar espaços no mercado num ano em que as vendas de leite longa vida ficaram estáveis no Brasil, observou Barbosa.

Ele também atribuiu o resultado positivo em 2016 ao menor dispêndio com investimentos, que somaram R$ 9 milhões, basicamente em equipamentos e veículos. No ano anterior, haviam alcançado R$ 22 milhões. "Não foram necessários grandes investimentos porque o parque industrial já havia sido remodelado nos últimos anos", disse.

Como decorrência dos números positivos e da menor necessidade de investimentos, a Jussara também reduziu sua dívida líquida no ano passado, conforme Barbosa. No fim de 2016, a dívida estava em R$ 249,263 milhões ante R$ 266,080 milhões no fechamento de 2015.

Em relação a este ano, Laércio Barbosa mostra um otimismo cauteloso. "Estamos trabalhando para superar [o faturamento] de R$ 1 bilhão", disse. De acordo com o diretor da Jussara, nos três primeiros meses do ano, a receita e o volumes cresceram 7% sobre o mesmo período de 2016. "Se os preços ficarem estáveis e elevarmos os volumes em 10%, podemos superar o R$ 1 bilhão de faturamento este ano", avaliou.

(Alda do Amaral Rocha | De São Paulo)

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor