Lagosta contrabandeada é apreendida pelo Ibama

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu 4,5 toneladas de lagosta contrabandeada no município baiano de Eunápolis, na última quinta-feira, 13. A carga foi interceptada em um posto da Polícia Rodoviária Federal na rodovia BR-101.

O carregamento – que, segundo o órgão ambiental, era proveniente de Alcobaça, outra cidade baiana, localizada a 50 quilômetros de Ilhéus – seria supostamente destinado para processamento em Icapuí, no Ceará. Mas não tinha nota fiscal com certificado de origem e estava escondido sob uma quantidade de 700 quilos de peixes.

Segundo o gerente-executivo do Ibama em Eunápolis, Henrique Jabur, de fato a carga apreendida, como outras encontradas em operações anteriores do órgão, seria transportada para ser posteriormente exportada para Miami, nos EUA. Entretanto, foi originária de pesca ilegal, executada com rede e instrumentos de mergulho, prática em desacordo com a legislação ambiental brasileira. "Além do mais, quem transportava a mercadoria era uma empresa de Canavieiras (BA), que também não tinha registro do governo para comercializar pescado", disse Jabur.

A empresa de transporte teve seu caminhão frigorífico apreendido e recebeu multa de R$ 101,5 mil. Por se tratar de um produto perecível, a carga apreendida foi doada a uma instituição filantrópica que atende crianças carentes em estado de desnutrição. O Ibama não informou o nome das empresas envolvidas.

Por Cristiano Zaia | De Brasília
Fonte : Valor