.........

Kátia Abreu diz que Serraglio tentou proteger fiscal preso

.........

Ruy Baron/Valor

A ex-ministra Kátia Abreu, que confirmou encontro, em 2016, com Serraglio

Em um post no Twitter, a senadora Kátia Abreu (PMDB-GO) confirmou ontem que o hoje ministro da Justiça, Osmar Serraglio, atuou para proteger Daniel Gonçalves Filho, preso na última sexta-feira pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Carne Fraca, que investiga o pagamento de propina a fiscais agropecuários por parte de frigoríficos

"Infelizmente, esta matéria está correta", tuitou a senadora. Ela referia-se a post publicado no blog do jornalista Josias de Souza a respeito de um episódio em que Serraglio foi ao seu gabinete, quando ela ainda era ministra da Agricultura de Dilma Rousseff, para tentar impedir a demissão de Gonçalves Filho.

O jornalista narra que Serraglio, à época deputado pelo PMDB paranaense, foi ao ministério com o deputado Sérgio Souza (PMDB-PR) no ano passado, antes do impeachment de Dilma, e se mostrou "inconformado" com a suspensão de Gonçalves Filho do cargo de superintendente do órgão no Paraná. O motivo da suspensão era um processo disciplinar em que se constatou que Gonçalves Filho havia livrado um subordinado da acusação de furto de combustível, sem ter poderes para tal e apesar de evidências "eloquentes" do crime.

No post, o jornalista afirma que Serraglio, que em um dos grampos da operação Carne Fraca da PF aparece chamando Gonçalves Filho de "grande chefe", ainda insistiu para que ele fosse mantido no cargo, o que acabou não ocorrendo. Até agora, o único comentário público de Kátia Abreu sobre o episódio e a operação foi feito por meio do Twitter. Segundo sua assessoria, ela está recebendo informações sobre a operação e deve fazer pronunciamento nesta terça sobre o tema.

A assessoria do ministro da Justiça informou que o processo de indicação de cargos como o do fiscal Gonçalves Filho passa pela bancada do PMDB no Paraná. A assessoria informou, ainda, que Serraglio pediu a reunião com Kátia Abreu em nome da bancada por ter sido informado por Gonçalves de que ele era alvo de injustiça. Serraglio negou ter influenciado para tentar evitar a demissão dele.

Por Fabio Murakawa e Vandson Lima | De Brasília

Fonte : Valor