.........

Kátia Abreu diz que é preciso dobrar área irrigada em dez anos

.........

A presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, afirmou ser estratégico para a produção agrícola “irrigar mais cinco milhões de hectares em todo o país, gerando oito milhões de novos empregos, além de melhorar os índices de competitividade do setor agrícola”. A declaração faz parte da palestra que ela proferiu no 3º Fórum das Águas, realizado nesta quinta-feira (4/12), em Palmas, no Tocantins. Ela participou do painel “O potencial irrigável no Tocantins, no Brasil e no mundo e a logística do eixo Arco Norte do Brasil”. Segundo ela, um dos grandes desafios do país está em dobrar área irrigada, com responsabilidade sustentável e ambiental.

Durante a palestra, a presidente da CNA apresentou levantamento com dados oficiais e fez algumas estimativas preliminares que indicam necessidade de investimentos da ordem de R$ 55 milhões para irrigar toda esta nova área. Segundo Kátia Abreu, o Brasil possui perto de 12% da água doce superficial do planeta, representando um potencial de irrigação de até 29,5 milhões de hectares. No entanto, destacou, apenas 5,4 milhões de hectares são irrigados, o que corresponde a 19% do total da área irrigável do país.

Tecnologia – “Precisamos ter a consciência de que podemos avançar muito nesse setor, principalmente utilizando mecanismos de tecnologia que ajudem na evolução da nossa produção agrícola e industrial”, assegurou Kátia Abreu. Entusiasmada com a importância estratégica dada pelo governo federal às plataformas multimodais, a presidente da CNA lembrou que as hidrovias se tornarão, em breve, uma das principais formas de escoar a produção agrícola e industrial do país, por um preço bem menor.

O Estado de Tocantins, destacou, será um dos principais polos da logística nacional. “Nós temos que integrar todo o Tocantins, incluindo a conclusão de três rodovias federais que cortam o Estado, vias estratégicas para o agronegócio como a BR -010, a BR-242 e a BR-235”, salientou. Ela lembrou a construção da Hidrovia do Tocantins, a consolidação dos seis pátios da Ferrovia Norte-Sul e a duplicação da BR-153, exemplos de ações que tornarão Tocantins um grande centro de logística e de desenvolvimento.

Para Kátia Abreu, grande parte da produção brasileira terá de passar pelo território tocantinense, indicando ser este o cenário para o desenvolvimento da agroindústria. “A região possui rodovias, ferrovias e hidrovias. É o que todos querem”, finalizou.

O Fórum das Águas – Para a senadora, “o Fórum das Águas, de iniciativa do Grupo Jaime Câmara é, certamente, um dos instrumentos mais importantes conquistados pela sociedade tocantinense na defesa de nossas bacias hidrográficas, seu aproveitamento racional e sustentável. Ele conseguiu despertar na sociedade esse sentimento plantado nos mais de dez anos do Fórum do Lago, também do Grupo Jaime Câmara, que acompanhamos desde 2001. Conseguiu levar a discussão para dentro das casas, para as famílias, nas escolas e isto é fundamental para avançarmos no aperfeiçoamento da relação produção/meio ambiente”, encerrou a senadora.

Assessoria de Comunicação FAET/SENAR do Tocantins
www.faetrural.com.br

Fonte: CNA