.........

Kepler prevê desaceleração em 2015

.........

A redução de cerca de 30% dos preços de commodities agrícolas como soja e milho neste ano sinalizam um crescimento "mais lento" do mercado brasileiro de armazenagem de grãos em 2015, informou ontem a Kepler Weber na divulgação do resultado trimestral. Segundo o vice-presidente da empresa, Olivier Colas, depois das altas de 40% a 50% nos últimos dois anos, a demanda tende a se estabilizar ou sofrer uma "pequena redução" no próximo exercício.

A queda poderá ocorrer por conta do recente anúncio do Ministério da Agricultura de que o Programa para Construção de Ampliação de Armazéns (PCA) se estenderá o segmento sucroalcooleiro. Como não houve indicação de aumento da linha de financiamento, o aporte anual de R$ 5 bilhões do programa passará a ser disputado por áreas nos quais a empresa não atua, disse o executivo.

Conforme Colas, a queda dos preços das commodities já "travou" o mercado no quarto trimestre. "A dinâmica é menor, com tomadas de decisões mais lentas", comentou. Mesmo assim, ele afirmou que 2014 será "excepcional" para a Kepler.

No terceiro trimestre, o forte crescimento das vendas e a expansão mais moderada das despesas operacionais compensaram a retração da margem bruta de 31,6% para 26,9% e permitiram a alta de 72,7% no lucro líquido sobre o mesmo período de 2013, para R$ 34,2 milhões.

A queda na margem bruta decorreu da concentração de entregas para clientes de grande porte, com os quais a empresa pratica preços mais "competitivos", disse Colas. Mesmo assim, Ebitda avançou 63,3%, para R$ 58,4 milhões.

A receita líquida cresceu 52,4% no trimestre, para R$ 254,3 milhões. O segmento de armazenagem avançou 62,4%, para R$ 209,7 milhões, e as exportações evoluíram 33%, para R$ 23,6 milhões. Já despesas operacionais subiram 30,6%, para R$ 23,8 milhões.

Os investimentos totalizaram R$ 37,7 milhões em nove meses (ante os R$ 20,4 milhões de igual intervalo do ano passado) na modernização das fábricas, no desenvolvimento de produtos e informática. No acumulado de 2014, os aportes serão de R$ 65 milhões, ante R$ 28,1 milhões em 2013.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3778824/kepler-preve-desaceleracao-em-2015#ixzz3J2hN2dkj

Fonte: Valor | Por Sérgio Ruck Bueno | Porto Alegre