JBS suspende as operações de sete frigoríficos em MS

A JBS suspenderá a partir de hoje as operações em seus sete frigoríficos de bovinos que estão em operação em Mato Grosso do Sul. A empresa alega insegurança jurídica, após ter mais de R$ 620 milhões bloqueados na Justiça a pedido da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado que investiga irregularidades na área tributária.

Em nota, a JBS informou que as atividades no Estado, que abriga o quarto maior rebanho bovino do país, ficarão paralisadas por tempo indeterminado. A JBS possui cerca de 15 mil funcionários em Mato Grosso do Sul, além de gerar 60 mil empregos indiretos. Segundo a empresa, os funcionários continuarão recebendo normalmente seus salários até uma definição sobre o caso.

"A JBS esclarece que está empenhando seus melhores esforços para a manutenção da normalidade das suas operações", informou a companhia, por meio de sua assessoria. A medida deve afetar os preços do boi no Estado, onde a empresa também lidera a produção de carne bovina.

A paralisação temporária dos frigoríficos da JBS em Mato Grosso do Sul vem gerando polêmica no Estado. Ontem, funcionários da empresa fizeram um protesto na Assembleia Legislativa, em Campo Grande.

O atual governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), foi citado pelo empresário Wesley Batista, ex-presidente da JBS que está preso preventivamente, como um dos políticos que teriam recebido propina para conceder benefícios fiscais à empresa. A CPI que investiga as irregularidades fiscais foi criada em junho, após a divulgação da delação dos irmãos Batista.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor