.........

ISTO É DINHEIRO | Em primeira mão

.........

Chinesa Cnooc adquire canadense Nexen por US$ 15,1 bilhões 07:23Massacre nos EUA deve motivar mudança em lei sobre armas, diz Calderón 06:58Ministro espanhol da Economia se reúne em Berlim com Schäuble 06:03PIB espanhol se contrai 0,4% no segundo trimestre Abrir Este mês | Julho de 2012 Rss Colunas Poder Em primeira mão Nº edição: 772 | 20.JUL.12 – 21:00

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, acompanha diariamente a economia da China pelos jornais e revistas estrangeiros e pelas agências de notícias. por Denize Bacoccina

China

  O ministro da Fazenda, Guido Mantega, acompanha diariamente a economia da China pelos jornais e revistas estrangeiros e pelas agências de notícias. Mantega, porém, não se contenta só com esses canais de informação. Ele também recebe relatórios reservados de brasileiros que trabalham no país asiático e estão vendo em primeira mão o que acontece por lá.         Logística

Economia nos aeroportos   O governo aproveitou para inserir na MP do Brasil Maior um projeto do Ministério do Desenvolvimento que prevê a desapropriação de terrenos ao redor dos aeroportos. A ideia é garantir as áreas próximas aos terminais para empreendimentos comerciais, como hotéis, centros de distribuição e outlets. A proposta em questão já havia sido rejeitada como emenda de outra medida provisória.   

Ferrovias

Mais trilhos   Além do trem de alta velocidade entre Rio e Campinas, o governo estuda novas rotas ferroviárias voltadas ao transporte de passageiros. O Ministério dos Transportes tem projetos para os trechos entre Maringá e Londrina, no Paraná, e entre Caxias do Sul e Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul.      

Brasil Maior

Pressão empresarial   Houve um dedo dos empresários e das centrais sindicais para que ocorresse a votação das duas medidas provisórias do Plano Brasil Maior, na segunda e terça-feira. Para garantir o quórum na Câmara dos Deputados em pleno mês de julho, os ministérios da Fazenda e do Desenvolvimento entraram em cena, pedindo aos executivos que pressionassem seus parlamentares a ir a Brasília. O Ministério do Trabalho fez o mesmo com os sindicalistas. Sem a aprovação, a desoneração da folha de pagamento e a redução de IPI poderiam perder a validade no início de agosto.         Estímulo

Só em agosto   Novas medidas de estímulo à economia continuam sendo tema das discussões da presidenta Dilma Rousseff com os ministros da área econômica. Mas nada deve ser anunciado nos próximos dias. Novidades só depois da viagem a Londres, onde ela assiste à abertura dos  Jogos Olímpicos.     

Agricultura

Lobby do vinho   O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, vem costurando com cooperativas e fabricantes de vinho do Rio Grande do Sul uma medida para reduzir os altos estoques do setor, que já chegam a 300 milhões de litros. A ideia é que o governo aporte recursos, em leilões de compra da CONAB, para que a vinicultura possa, pelo menos, vender de 30 milhões a 40 milhões de litros, destinados a exportações.         Notas   A baixa procura pelos financiamentos para renovação de canaviais e implantação de novas usinas coloca em risco a produção de etanol nos próximos anos. Dos R$ 4 bilhões colocados à disposição pelo BNDES, apenas R$ 70 milhões foram solicitados por produtores de cana. Nenhum projeto de usina foi aprovado até agora.      O vagaroso ritmo do governo para liberar emendas parlamentares estimulou um movimento na base aliada para torná-las obrigatórias. Duas recentes propostas incluem as emendas entre as despesas do governo. Os projetos, no entanto, juntam-se a outros oito sobre o mesmo tema que estão parados no Congresso desde 2005. 

Fonte: ISTO É DINHEIRO