.........

Intenção da JBS ainda é realizar IPO em Nova York em 2018

.........

Eraldo Peres / Associated Press

O plano da JBS de abrir o capital da JBS Foods Internacional nos EUA continua de pé. A intenção ainda é listar a subsidiária na bolsa de Nova York em 2018, afirmou uma fonte próxima à companhia ao Valor.

Carta enviada na sexta-feira pela JBS à Securities and Exchange Commission (SEC), órgão que regula o mercado de capitais dos EUA, gerou dúvidas ontem no mercado e a desistência do IPO foi aventada como consequência das dificuldades geradas após a prisão dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da empresa brasileira de carne.

Na carta, o COO da JBS, Gilberto Tomazoni, solicitou a retirada do pedido de registro do IPO, que havia sido protocolado em dezembro do ano passado. Procurada, a JBS informou que a carta é uma "questão processual" e que a listagem de uma das afiliadas da companhia ainda é vista como o "caminho certo" para gerar valor aos acionistas.

"Como o nosso horizonte passou para 2018, é muito mais eficiente mandarmos uma carta dizendo para suspender o processo", argumentou a fonte. Enquanto o pedido de registro da oferta estivesse ativo, a JBS teria de fazer atualizações periódicas de documentos, além de incorrer em custos com advogados. Vale lembrar também que a JBS ainda não conta com balanços assinados pelo auditor desde que a delação veio a público, em maio. Ter o balanço auditado é essencial para o IPO.

Na carta enviada ao órgão regulador americano, a JBS pediu que as taxas que já foram pagas no contexto do pedido de registro de IPO sejam "creditadas" para uso futuro por qualquer subsidiária da companhia.

No plano original do IPO, a subsidiária JBS Foods International reuniria todos os negócios da JBS, com exceção das operações de couro e carne bovina no Brasil. A JBS Foods Internacional tem sede na Holanda.

A avaliação na JBS é que abrir o capital nos Estados Unidos "faz cada dia mais sentido". As operações da JBS no exterior são muito maiores que os negócios no Brasil, e o EUA representam mais da metade das vendas globais da JBS.

Recententemente, os operações americanas foram reforçadas, com a compra da subsidiária irlandesa Moy Park pela também controlada Pilgrim’s Pride, empresa e carne de frango listada na Nasdaq. A venda da Moy Park, antes controlada pela JBS a partir do Brasil, à Pilgrim’s fez parte dos planos da JBS para reduzir as dívidas com os bancos no Brasil. A Pilgrim’s pagou 1 bilhão de libras esterlinas para assumir a Moy Park, que também produz frango.

Por Luiz Henrique Mendes e Bettina Barros | De São Paulo

Fonte : Valor