.........

INJEÇÃO DE CRÉDITO | Pacote destina R$ 3,3 bi aos produtores gaúchos

.........
Dificuldade de acesso aos recursos por causa de dívidas, porém, preocupa

Pequenos produtores gaúchos terão até R$ 3,3 bilhões para financiar a próxima safra. Os agricultores familiares receberam as medidas anunciadas ontem, em Brasília, de forma positiva, mas pedem uma solução para o endividamento agrícola e mais investimentos em reforma agrária.
O Plano Safra da Agricultura Familiar 2012/2013 terá R$ 22,3 bilhões em recursos e incentivos para o novo plantio, juros mais baixos e ampliação do limite de crédito. A preocupação, porém, é a mesma dos médios e grandes produtores. Por causa da estiagem, muitos estão endividados, o que pode restringir o acesso ao crédito.
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, lembrou que já existe uma resolução do Conselho Monetário Nacional autorizando os bancos a renegociarem as dívidas. Além disso, a cobertura do seguro agrícola foi ampliada de R$ 3,5 mil para R$ 7 mil por produtor.
– São mais de 100 mil agricultores que no Sul vão ser beneficiados pelo seguro da agricultura familiar. Significa que não vão ficar com a dívida no banco, o seguro vai quitar o financiamento e ainda têm aquela cobertura de renda – ressaltou Pepe.
Mas, na prática, os agricultores dizem que a situação não foi resolvida.
– O endividamento é uma das questões que precisam ser tratadas nos próximos anos, uma vez que o agricultor perde com preços e perde também com o clima – disse o coordenador geral da Região Sul da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar, Celso Ludwig.
Para o secretário estadual de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, Ivar Pavan, a renegociação e o endividamento estão na pauta e devem ter uma resposta.
leticia.luvison@gruporbs.com.br

maira.gatto@gruporbs.com.br

LETICIA LUVISON E MAÍRA GATTO | BRASÍLIA

A distribuição

– R$ 18 bilhões em crédito via Pronaf

– R$ 480 milhões em seguro da agricultura familiar

– R$ 412 milhões no Programa Garantia-Safra

– R$ 90 milhões para o Programa de Garantia de Preços da Agricultura Familiar

– R$ 2,3 bilhões em compras da agricultura familiar

– R$ 542 milhões para assistência técnica e extensão rural

– R$ 347 milhões no Programa de Garantia de Preço Mínimo

– R$ 81 milhões de fomento às atividades produtivas rurais do Plano Brasil Sem Miséria

Fonte: Zero Hora |  governo federal