.........

INFORME RURAL | GISELE LOEBLEIN

.........

 

  • Parceria com a soja por um resultado melhor

    Os bons resultados obtidos com a soja no Estado movimentam a economia e consolidam uma transformação nos campos. O grão avança a passos largos no Rio Grande do Sul, inclusive – e sobretudo – em tradicionais redutos da pecuária de corte.
    Exemplo disso aparece em São Luiz Gonzaga, nas Missões, onde a pecuária só fica sozinha em áreas onde o solo não permite lavouras de verão. Ou em raras escolhas feitas por produtores.
    – Pecuarista que é só pecuarista tem muito pouco – afirma o presidente do sindicato rural local, Maurício Caíno.
    O município cultiva cerca de 65 mil hectares de soja, dos quais 5 mil sobre áreas onde se cria gado. A maior parte dos produtores arrenda terra no verão – para o cultivo dos grãos – em troca de pastagem no inverno.
    – O avanço é inevitável – constata o pecuarista Luiz Fernando Caetano Dorneles. O desafio é fazer dessa integração lavourapecuária algo benéfico, inclusive para os índices de produção de terneiros, debate proposto pela 50ª Etapa do Fórum Permanente do Agronegócio, promovido pela Farsul, que chega hoje à cidade das Missões.
    Nas duas áreas que formam a Fazenda Jaguassangó, Dorneles cria 700 cabeças de gado. Nos 585 hectares de Bossoroca, o solo não permite cultivar soja. Mas a parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS), que instalou no local uma unidade demonstrativa, está permitindo a melhoria de pastagens.
    Nos 500 hectares em São Luiz Gonzaga, 20% são arrendados para lavouras de verão e reserva de pastagem de inverno. A paixão pela pecuária, que se transmite na família – a mãe Edith e o irmão Silmar também têm propriedades –, ganha um ingrediente novo, que está fazendo a vocação se transformar,para produzir um resultado melhor.

  • Da arquibancada para a pista

    Esteio volta a ficar movimentada por cavalos e ginetes a partir de hoje. Adiado em razão da chuva que inundou o parque Assis Brasil durante a Expointer, no final de agosto, o Freio do Proprietário se diferencia por tirar da arquibancada e levar para a pista os próprios donos montando seus animais.
    Classificado para a final da prova da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) está o campeão da categoria amador Vinicius Dal Piva da Silva (foto), montando Debochado do Iguariaçá, que alcançou 12,257 pontos na etapa realizada em junho. O jovem de 23 anos, estudante de veterinária, participa de provas desde os 12 anos e é uma das promessas para subir ao pódio no domingo. Em disputa também estará a categoria amador master. No total, 330 duplas participaram das credenciadoras e classificatórias realizadas dentro e fora do Estado, e 20 estão na final.
    Também promovido pela ABCCC, será realizado entre os dias 23 e 29 o primeiro Rédeas de Ouro do cavalo crioulo, no Centro de Treinamento Querência, na Capital. Em tempo: enquanto o Freio de Ouro é uma competição da raça, o Rédeas é considerado um esporte mundial, com estilo texano, e não inclui as chamadas provas de campo, que usam novilhos, por exemplo, para mostrar a habilidade dos peões na lida com o gado.

  • Um novo e expressivo número mostra a expansão dos negócios relacionados com a soja no Estado. O Valor Bruto da Produção (VBP) da agropecuária, divulgado ontem pelo Ministério da Agricultura, revela que a expectativa para o grão no Rio Grande do Sul é de uma geração de R$ 12,42 bi. O valor é mais do que o dobro do registrado no ano passado.

  • Feiras de primavera I

    Para estimular a compra e a venda de animais nos remates que ocorrem a partir deste mês, o Banrisul ampliou para R$ 150 milhões os recursos disponíveis para financiar os produtores que fizerem aquisições nas feiras oficiais (que seguem o calendário da Secretaria da Agricultura). Na temporada de 2012, foram oferecidos R$ 80 milhões. A taxa de juros é de 5,5% ao ano com prazo de pagamento, para bovinos de corte e de leite, de 36 meses. Para outros animais, o prazo será de 24 meses.

  • Feiras de primavera II

    Quem também tem novidades para a temporada é Estância Guatambu, que fará o seu remate na recém-inaugurada Vinícola Enoturística. A estância ofertará, pela primeira vez, equinos da raça crioula, além de bovinos. O tradicional Remate Guatambu, Alvorada e Caty ocorre em Dom Pedrito em 5 de outubro.

  • Mobilização encerrada

    A Fetag deu fim a mobilização que realizava na Delegacia da Ministério do Desenvolvimento Agrário e se reunirá, em breve, com dirigentes do Banco do Brasil e com o ministro Pepe Vargas.

  • A Embrapa Clima Temperado, de Pelotas, em conjunto com a Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves, lança hoje o livro Os Solos do Vale dos Vinhedos.
    Colaboraram Thiago Copetti e Caio Cigana

Fonte: Zero Hora