.........

INFORME RURAL | GISELE LOEBLEIN

.........

 

  • A hora da confirmação

    Se no ano passado as dificuldades da seca transformaram a Expointer em um evento da superação, neste ano os números recordes a segunda maior safra de grãos, com 28,25 milhões de toneladas, e a maior colheita de soja no Estado, com 12,53 milhões de toneladas sugerem uma edição da consolidação do agronegócio.
    Com o desempenho expressivo da Expodireto – realizada no início do ano em Não-Me-Toque –, que negociou R$ 2,5 bilhões, a feira de Esteio ficou no compromisso de fazer bonito. As projeções variam conforme a fonte, mas é consenso de que as vendas no Parque de Exposições Assis Brasil – que incluem animais, além de máquinas e implementos – pelo menos repitam o resultado de R$ 2,02 bilhões obtido na edição passada.
    Com a conjugação de crédito farto – anunciado para quem deseja fazer investimentos – e produtor capitalizado pelos resultados da lavoura, apenas repetir o resultado é uma projeção tímida. E talvez esteja embasada no medo de apostar alto demais, correndo o risco de levar um tombo com os resultados finais.
    Outro ingrediente a ser considerado neste cálculo é a taxa do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). No ano passado, a redução de 5% para 2,5% foi anunciada em meio à realização da Expointer e alavancou as compras de máquinas e equipamentos. Conforme previamente programado pelo governo, a taxa vem gradativamente aumentando e atualmente está em 3,5%.
    Nos negócios envolvendo animais, a perspectiva é semelhante: igualar a marca de R$ 13,7 milhões. Desse total, R$ 9,39 milhões vieram das pistas de cavalos crioulos. Mercado que segue aquecido, segundo o vice-presidente de comunicação e marketing da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Jose Luiz Lima Laitano:
    – O bom resultado da safra deixa criadores com condições de investir em genética de qualidade.

  • O crédito liberado pela Plano Safra para produtores médios alcançou R$ 11,36 bi no período 2012/2013, segundo dados ontem divulgados pelo Ministério da Agricultura.

  • Os valores da soja Intacta RR2 podem sair ainda nesta semana. Ontem, o tema foi tratado em encontro na Capital. Oficialmente, a Monsanto diz apenas que realiza rodada de reuniões com entidades no país e, ao final delas, divulgará a política comercial.

  • Preço do leite ao produtor valorizado

    O valor de referência pago ao produtor pelo leite tipo padrão deve ficar em R$ 0,8898 em julho. A projeção foi estabelecida ontem em reunião do Conseleite. A quantia é maior do que a consolidada para o mês de junho, R$ 0,8681. A alta é atribuída à tradicional entressafra, além da forte procura no mercado interno e externo.

  • No tempo certo

    Produtores de maçãs gaúchos e catarinenses terão apoio de estações meteorológicas para potencializar os resultados. Uma parceria firmada entre a Basf e a Empresa de Pesquisa e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) permitirá acesso, a partir de hoje, em tempo real de informações coletadas por 20 estações meteorológicas (foto).
    Por meio de cálculos será possível determinar qual o melhor momento para realizar tratamento fitossanitário e para estimular a quebra de dormência (quando a planta reduz as atividades).
    – São dois momentos cruciais no caso da produção da maçã – explica o Eduardo Eugenio, gerente de marketing para cultivos de hortifrúti da Basf.
    No Rio Grande do Sul, onde existem cerca de mil produtores de maçã, o serviço estará à disposição nas cidades de Caxias, Antonio Prado, Vacaria, Bom Jesus e Muitos Capões e poderá ser acessado, gratuitamente, pelo site www.ciram.epagri.sc.gov.br.

  • A Conab realiza leilão, na quinta-feira, para ofertar 1,55 mil toneladas de trigo. O volume é remanescente da venda realizada na semana passada, quando 76,62% das 6,63 mil toneladas oferecidas foram compradas.

Multimídia

 

Fonte: Zero Hora