Indígenas discutem a demarcação de terras com Dilma Rousseff

Eles pediram a criação de um grupo de trabalho com várias entidades.
Ideia é participar ativamente dos processos de criação de novas reservas.

Do Globo Rural

No Palácio do Planalto líderes de 20 tribos foram recebidos pela presidente Dilma Rousseff, ministros e representantes da Funai e aproveitaram para entregar uma carta com 11 reivindicações.

A principal delas é a criação de um grupo de trabalho com representantes do ministério da Justiça, da Funai e dos próprios índios. Eles ficariam responsáveis por mapear áreas e definir as prioridades na demarcação de terras.

O governo acatou a proposta da criação desse grupo e disse também que vai formar uma mesa de negociação para discutir outros 10 pontos da carta entregue pelos índios, entre eles, o arquivamento da PEC 215, que transfere do Poder Executivo para o Congresso Nacional a competência de demarcar terras.

Os índios temem que a Funai fique de fora do processo de demarcação. O governo garantiu que isso não vai acontecer, mas também não abriu mão de envolver outros órgãos na análise dos processos.

A demarcação de terras também foi assunto de uma coletiva convocada pela CNA, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. O órgão entende que isso pode prejudicar a produção agropecuária.

Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o primeiro encontro da mesa de negociação será em agosto, mas a data ainda não foi definida.

Fonte: G1