Importações chinesas de soja seguem em expansão

As importações chinesas de soja confirmaram as expectativas e voltaram a alcançar um volume expressivo em novembro. De acordo com dados divulgados pelo serviço alfandegário do país, as compras do grão somaram 7,39 milhões de toneladas, com aumentos de 33,6% em relação a outubro e de 22,6% na comparação com o mesmo mês de 2014.

Com isso, nos primeiros 11 meses de 2015 as importações chegaram a 72,57 milhões de toneladas, um crescimento de 15,4% sobre igual intervalo do ano passado. E, conforme analistas, o total anual poderá superar a marca de 80 milhões de toneladas, uma vez que a expectativa é que o volume ultrapasse 8 milhões de toneladas em dezembro. À agência Reuters, Monica Tu, da Shanghai JC Intelligence (JCI), afirmou que espera que as compras continuem aquecidas tendo em vista o atual forte ritmo de operações das unidades processadoras instaladas no país.

A receita das importações chinesas de soja não foi detalhada pelo serviço alfandegário, mas certamente o gasto relativo da China tem sido menor que em 2014. E as exportações brasileiras do grão podem dar pistas dessa queda. Conforme a Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic), o Brasil exportou 1,4 milhão de toneladas em novembro, por US$ 382 a tonelada. No mesmo mês de 2014, foram apenas 81,6 mil toneladas, mas por US$ 462,2 a tonelada, em média. A China lidera as importações globais de soja, ao passo que o Brasil é o maior exportador.

Por ser esperado, o salto das importações chinesas não teve influência expressiva sobre as cotações do grão ontem na bolsa de Chicago. Mas foi mais um sinal de que, a despeito da queda das compras de commodities como o minério de ferro no exterior, a demanda do país por alimentos continua aquecida.

Por Mariana Caetano e Camila Souza Ramos | De São Paulo
Fonte : Valor