Henrique Dornelles assume pauta de arrozeiros gaúchos

Renda e competitividade são metas de sua gestão de três anos

ROBISPIERRE GIULIANI/DIVULGAÇÃO/JC

Dornelles administra a Passo do Angico, onde cultiva 750 hectares

Dornelles administra a Passo do Angico, onde cultiva 750 hectares

O engenheiro-mecânico Henrique Dornelles é o novo presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz). Eleito na sexta-feira na assembleia geral em Dom Pedrito, com o voto de 15 associações de rizicultores. O candidato Juarez Petry de Souza obteve 11 votos e, após o resultado, pregou a união dos arrozeiros em torno da entidade. A posse acontecerá ainda em julho.

Dornelles terá como meta prioritária em sua gestão de três anos a busca de renda ao produtor, incentivar uma ainda maior profissionalização do setor, principalmente em boas práticas de gestão, e à competitividade do cereal gaúcho, com especial ênfase à exportação. Também manterá o trabalho em conjunto com Farsul, Irga e Fetag nas demandas setoriais. “Queremos construir com o governo do Estado uma participação ainda mais efetiva do Irga nas diretrizes estruturais da lavoura gaúcha.”

Entre as primeiras ações de Henrique Dornelles, está uma viagem a Brasília para se apresentar aos ministérios da Fazenda e da Agricultura e estabelecer tratativas acerca do preço mínimo do arroz, que foi congelado por mais um ano, pelo governo federal, para os produtores do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O presidente eleito elogiou a conduta de Juarez Petry de Souza, que após o escrutínio dos votos convocou o apoio dos arrozeiros à nova diretoria e pregou a união do setor. “Fomos concorrentes no pleito, mas somos colegas na lavoura, unidos pela causa da rizicultura”, disse Henrique Dornelles.

O presidente da Federarroz, Renato Rocha, destacou o fortalecimento da entidade com a mobilização das 26 associações votantes na assembleia ocorrida no Sindicato Rural de Dom Pedrito. Enfatizou que, ao final de seis anos como presidente, e  de três como diretor, encerra um ciclo executivo com o sentimento de dever cumprido. “Saneamos as finanças da Federarroz e a reconduzimos, com nossos diretores, vice-presidentes e a força dos arrozeiros, a um lugar de destaque no agronegócio brasileiro”, frisou. Rocha ainda agradeceu às suas equipes diretivas e de trabalho, às associações e comunidades que receberam as aberturas da colheita pela colaboração ao longo dos últimos nove anos.

Ele enumerou algumas das muitas conquistas alcançadas no período, como a renegociação de dívidas e a volta do Brasil ao caminho da exportação, em ação integrada da cadeia produtiva. “Desenvolvemos ações proativas, estratégicas, que levaram a avanços nas relações de mercado, com os governos, tecnológicas e de gestão. Praticamente todas essas ações são fruto direto de bandeiras defendidas pela Federarroz”, enfatizou.  Rocha, que é economista, assumirá a presidência do conselho consultivo, formado pelos ex-presidentes da entidade Valter José Pötter, Tonico Paz, Clóvis Terra, Artur de Albuquerque e Breno Prates. E no campo profissional, desenvolverá suas atividades como consultor em planejamento estratégico de entidades e empresas do agronegócio.

O novo presidente eleito, Henrique Dornelles, tem 38 anos, é engenheiro-ecânico e administrador da Parceria Passo do Angico, onde cultiva 750 hectares de arroz e destina 2 mil hectares à pecuária. É sócio-proprietário da Cristal Aviação Agrícola, ambos no município de Alegrete. Além de ser atual vice-presidente da Federarroz na Fronteira-Oeste, já presidiu a Associação de Arrozeiros de Alegrete e integra outras organizações comunitárias em seu município.

Fonte: Jornal do Comércio |