Guerra das bananas

Os grupos brasileiros Cutrale e Safra, que juntos travam uma batalha para comprar a americana Chiquita, uma das maiores produtoras e distribuidoras de bananas do mundo, reagiram ontem à carta enviada pela empresa dos Estados Unidos aos seus acionistas, que as acusava de terem feito "declarações enganosas". As duas companhias afirmaram que o documento é uma evidência do "medo" da Chiquita de que seus acionistas votem a favor de sua proposta de aquisição, ao invés de acertarem a fusão com a irlandesa Fyffes, de distribuição da fruta. Em nota, a Cutrale e o Grupo Safra atestaram que "a Chiquita e a Fyffes querem agora que os acionistas da Chiquita ignorem os fatos e depositem sua fé em uma especulação de desempenho futuro da Chiquita com a Fyffes". As brasileiras e a americana têm trocado acusações nos últimos dias após as duas companhias realizarem uma oferta hostil pela produtora de bananas, que já estava em processo de fusão com a Fyffes. A proposta foi rejeitada pelo conselho de administração da Chiquita, mas Cutrale e Grupo Safra entraram com um pedido para que a aquisição seja votada em uma reunião com os acionistas da empresa americana. (Camila Souza Ramos)

Amy Sancetta / File/AP

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3682132/guerra-das-bananas#ixzz3CLr9qNI5

Fonte: Valor |