.........

Gratificação pode ser saída no Irga

.........

Fonte: Correio do Povo

Um acordo de líderes é a aposta do governo para que o projeto que cria o plano de cargos e salários do Instituto Riograndense do Arroz (Irga), protocolado na Assembleia Legislativa, possa ser votado ainda neste mês. O apelo foi feito ontem pelo presidente do Irga, Claudio Pereira, durante a CPI, na Capital. Como o projeto não inclui a criação de Cargos em Comissão (CCs) e estabelece gratificação para equiparar os salários básicos dos atuais funcionários ao dos que ingressarem daqui para frente, a expectativa do governo é que isso possa se concretizar sem resistências.
As gratificações, determinadas após a reação contrária do Sindicato dos Servidores do Irga (Sidsirga) ao veto do Piratini ao reenquadramento dos 375 servidores ativos e inativos no novo plano, oscilarão entre R$ 370,00 e R$ 1,5 mil. O presidente do Sidsirga, Gilberto Silveira, considerou a modificação do texto uma vitória. "Fomos compensados, assim, não haverá defasagem em relação aos novos concursados, temos de reconhecer." Se o governo conseguir colocar o projeto em votação neste ano como gostaria, será possível realizar o concurso público e começar as nomeações no segundo semestre de 2012. O projeto prevê 288 cargos de níveis superior e médio, mantém os 148 CCs e FGs existentes e extingue 626 cargos.
Na CPI do Arroz, deputados cobraram a desvinculação do valor arrecadado pela CDO do Caixa Único. Segundo o presidente da Comissão de Agricultura, Ernani Polo, a lavoura deixará de receber R$ 15 milhões em 2011.
Os valores
Técnico Nível Superior:
R$ 1.540,00;
Técnico Nível Médio: equivalente a 50% do básico, hoje cerca de R$ 370,00. (*);
(*) No caso do Técnico Orizícola em atividade, além dos 50% sobre o básico haverá um adicional de R$ 600,00.
Fonte: Irga