Governo gaúcho vai disponibilizar seis mil hectares de terras para resolver o impasse entre produtores e índios

A polêmica que envolve a demarcação de terras indígenas foi debatida nesta quarta, dia 4, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Durante uma reunião, o governo do Estado se prontificou a disponibilizar seis mil hectares de terras para resolver o impasse entre produtores e índios. Em frente ao prédio do Ministério Público Federal, dezenas de índios caingangues protestavam pela imediata demarcação das terras indígenas e quilombolas.
O representante do Conselho de Articulação Indígena cainguangue, Augusto Alpen da Silva, que participou do debate, afirma que os indígenas não podem mais esperar e que estão dispostos a ocupar as terras o quanto antes.
– A gente não é contra a reforma agrária, mas o governo fez isso em cima das nossas terras. Hoje, quem sofre é dois pequenos grupos, o pequeno agricultor e as comunidades indígenas. Se houver derramamento de sangue a culpa vai ser do governo – disse Silva.

De acordo com o ministro-chefe da secretaria geral da presidência, Gilberto Carvalho, a indenização dos agricultores precisa ser assegurada. Para isso, o governo federal vai precisar colocar mais recursos públicos à disposição.
A reunião foi marcada após invasão dos índios ao Palácio Piratini, sede do governo estadual, na última sexta, dia 30 de agosto. Depois da confusão, a Brigada Militar reagiu com balas de borracha e bombas de gás para dispersar os manifestantes.

Fonte : RuralBr