.........

Governo estuda sistema de assistência e extensão rural

.........

No fim do mês passado, presidente Dilma Rousseff ressaltou que uma fragilidade do agronegócio brasileiro é a falta de um serviço bem definido de extensão rural

Divulgação/Canal Rural

Foto: Divulgação/Canal Rural

Ideia é que novo sistema de Assistência Técnica e Extensão Rural atenda a todos os segmentos de produtores rurais

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento acaba de criar um grupo de trabalho (GT) para propor a estruturação de um sistema de Assistência Técnica e Extensão Rural no Brasil. A ideia é que esse novo sistema atenda a todos os segmentos de produtores rurais, "considerando as diferenças regionais existentes no território nacional", conforme publicado nesta terça, dia 24, no Diário Oficial da União.

No fim do mês passado, a presidente Dilma Rousseff ressaltou que uma "fragilidade" do agronegócio brasileiro é a falta de um serviço bem definido de extensão rural.

– Temos uma certa fragilidade na área de assistência técnica e extensão rural – disse a presidente no lançamento do Plano Safra 2012/2013, em junho.

Dilma informou na ocasião que o governo vai construir uma política nessa área e "pensa em criar uma agência" para cuidar exclusivamente do assunto.

– Esse talvez seja um dos maiores desafios do meu governo – disse ela na solenidade, referindo-se às ações destinadas ao setor agropecuário.

Entre os anos 1970 e 1990, o país contou com uma estatal nacional de assistência técnica e extensão rural (Embrater). Quando foi extinta, a responsabilidade de prestar esse serviço aos produtores ficou a cargo dos Estados.

O grupo de trabalho criado hoje será composto por representantes da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo; da Secretaria de Política Agrícola; da Secretaria de Defesa Agropecuária; da Assessoria de Gestão Estratégica; da Comissão Executiva da Lavoura Cacaueira (Ceplac); da Embrapa; e da Conab, todos órgãos do Ministério da Agricultura. Especialistas de outras entidades – públicas e privadas – poderão ser convidados para participar dos trabalhos.

As reuniões do grupo serão semanais. Após 45 dias, contados a partir desta terça, data da publicação da portaria de criação do grupo, os integrantes do GT devem apresentar um relatório final com sugestões e contribuições para a formação de uma nova política de Assistência Técnica e Extensão Rural no Brasil.

Agência Estado

Fonte:  Ruralbr