.........

Governo anuncia criação dos primeiros terminais privados no Brasil

.........

O governo espera que a iniciativa some investimentos em torno de R$ 11 bilhões

Divulgação

Foto: Divulgação / Estúdio 58

Investimentos no setor portuário abrem espaco para mais concorrência no mercado

A presidente da República, Dilma Rousseff, anunciou nessa quarta, dia 3, a construção dos primeiros terminais de uso privado no Brasil. Os terminais vão ser construídos de acordo com o que determina a chamada Lei dos Portos, que foi sancionada no mês passado.

O governo espera que a iniciativa some investimentos em torno de R$ 11 bilhões. O valor foi divulgado durante o primeiro pronunciamento da Presidente Dilma Rousseff sobre a construção de novos terminais privados.

Os 50 terminais vão aumentar em 105 milhões de toneladas, a capacidade de movimentação de carga  por ano. A mesma do Porto de Santos, o maior da América Latina. 27 unidades ficarão na região norte, com investimento de R$ 1,8 bilhão. O Nordeste será contemplado com três portos, e receberá R$ 4,5 bilhões. O centro-oeste do país também terá três, mas com investimento menor, de R$ 43 milhões. No Sudeste, os 12 empreendimentos somarão R$ 4,6 bilhões. Já na região Sul, serão cinco novos terminais, com recursos de R$ 150 milhões.

O processo para a liberação efetiva da construção dos terminais de uso privado deve durar cento e vinte dias. Dada a autorização para a construção dos terminais, o empreendedor terá até três anos para começar a operar.

Os investimentos no setor portuário abrem espaco para mais concorrência no mercado e aperfeiçoamento em outras áreas do transporte de carga, como por exemplo, a cabotagem.

Entenda

O novo marco regulatório impõe um modelo para ampliar a infraestrutura e modernizar a gestão dos portos, estimulando o investimento privado e o aumento da movimentação de cargas, com redução dos custos e eliminação de barreiras alfandegárias. A MP também abre caminho para mudanças de cerca de 50 terminais públicos cujos contratos de arrendamento com a iniciativa privada foram firmados antes de 1993. A MP estabelece que a exploração indireta de portos e instalações portuárias será mediante concessão para os portos organizados e, nos casos de instalações portuárias, por arrendamento de bem público.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr