Gisele Loeblein: a safra fez toda a diferença no PIB gaúcho do segundo trimestre

E o Rio Grande do Sul se prepara para uma farta colheita de trigo no segundo semestre

Com os números do PIB do segundo trimestre divulgados, ficou escancarado o peso da produção agropecuária gaúcha na nossa economia. A safra de 28,27 milhões de toneladas de grãos colhida neste ano, com recorde de 12,53 milhões de toneladas da soja, fez toda a diferença na balança. São quase 8 milhões de toneladas a mais no total da produção em relação ao ano passado, quando a seca dizimou lavouras e encolheu o crescimento.

Foi com a retomada da safra que o crescimento do segundo trimestre de 2013, comparado ao mesmo período do ano anterior, chegou a 15%. A agropecuária, que responde por 10% do PIB gaúcho, cresceu 111,7% em igual comparação. Os efeitos desse desempenho se multiplicam.

– Uma safra maior faz com que a indústria tenha mais produtos para processar. Quando a agricultura se recupera, aquece muito o setor metalmecânico – diz Antônio da Luz, economista da Federação da Agricultura do Estado.

Daqui para frente, a produção gaúcha continuará contribuindo para o vigor da economia. É no terceiro, e em particular, no quarto trimestre que começa a entrar o trigo produzido no Estado. O Rio Grande do Sul se prepara para uma colheita farta.

São 2,5 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e 2,67 milhões, conforme o IBGE. É quase 1 milhão de toneladas a mais da colheita do ano passado, com um preço valorizado, e um concorrente – o Paraná – com resultados comprometidos pelo clima.

Mas não dá para esperar o efeito do primeiro semestre – há alguns milhões de toneladas de diferença a se considerar nesta equação. Por isso, apesar da alta do PIB chegar a 8,9% no acumulado do ano, a Farsul mantém a projeção de crescimento de 6,37% para a economia gaúcha em 2013. Ainda assim, acima do país.

Fonte: Zero Hora