.........

Geadas ‘poupam’ a maior região cafeeira do Paraná

.........

Divulgação / Divulgação
Café afetado pela geada na região de Mandaguari, no norte do Paraná: poderá haver perdas na próxima temporada

As geadas ocorridas na madrugada de ontem no Paraná, no sul de Mato Grosso do Sul e em áreas localizadas no sul de São Paulo prejudicaram principalmente café, trigo, milho, cana e hortaliças. No Estado de São Paulo, o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) informou que a geada afetou o trigo no Vale do Paranapanema, o café em Piraju e Sarutaiá e as hortaliças em todas as principais regiões produtoras.

No caso do trigo, estima-se que 52% das áreas cultivadas no Paraná estão em floração e frutificação, fases mais suscetíveis aos danos derivados das geadas. "Ainda é cedo para avaliar os problemas com as geadas", afirmou Hugo Godinho, agrônomo do Departamento de Economia Rural (Deral). O órgão, ligado à secretaria estadual da Agricultura, projetava uma colheita de cerca de 2,7 milhões de toneladas de trigo este ano. Os prejuízos com a geada devem ser detalhados no levantamento que o departamento divulgará em agosto.

Também no Paraná, as geadas atingiram com mais intensidade os cafezais nas regiões de Londrina, Apucarana, Maringá e Ivaiporã, no norte e parte do noroeste do Estado, segundo Paulo Franzini, coordenador do setor de café do Deral. Nesta região cafeeira, cerca de 80% da área total – estimada em 27 mil hectares – foi afetada pelas geadas, de acordo com Franzini

Já o norte pioneiro, principal região produtora de café do Paraná, responsável por quase 60% da produção estadual do grão, foi atingida com menor intensidade, conforme informações de Franzini.

Os estragos serão mensurados na próxima safra (2014/15), pois as plantas já haviam encerrado a maturação dos grãos, que seguem em colheita. "Ainda é prematuro fazer cálculo", afirma Franzini. Mas a próxima temporada, que tinha potencial de crescimento ante a atual, não deverá ser superior em virtude das geadas. Para este ciclo (2013/14), a estimativa é que a colheita atinja de 1,62 milhão e 1,8 milhão de sacas, ante 1,51 milhão de sacas em 2012/13.

Um quadro mais sólido sobre os efeitos da geada na próxima safra somente serão visíveis na florada, em outubro e novembro. A primeira estimativa para a próxima temporada de café no Paraná deverá ser divulgada em dezembro.

A atual onda de frio que atinge o país é a mais intensa em pelo menos 13 anos. Segundo a Somar Meteorologia, ainda serão registradas baixas temperaturas hoje em todo o Centro-Sul e ainda há condições para a ocorrência de geadas no Sul do país. O frio começará a perder força somente na próxima sexta-feira.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3210102/geadas-poupam-maior-regiao-cafeeira-do-parana#ixzz2a3stOM63

Fonte: Valor | Por Carine Ferreira e Mariana Caetano | De São Paulo