.........

Gaúchos preparam-se para recuperar perdas

.........

Caco Argemi/Palacio Piratini / Caco Argemi/Palacio Piratini
O governador do Rio Grande do Sul (quarto da esquerda para a direita), no anúncio do plano de safra gaúcho: "vasta possibilidade" de recuperação em 2012/13

Com os preços da soja em elevação, mais crédito para custeio e investimentos nos planos de safra estadual e nacional e a expectativa de um clima "neutro" (sem escassez nem excesso de chuva), o Rio Grande do Sul espera recuperar na safra 2012/13 as perdas registradas no ciclo anterior. Segundo o presidente da Emater, Lino de David, até agora é "razoável" prever que a próxima colheita de verão alcançará os patamares inicialmente previstos para a produção na temporada 2011/12.

Na safra de verão recém-encerrada, a estiagem causada pelo fenômeno climático "La Niña" quebrou em 43,1% a produção de soja ante a estimativa inicial da Emater-RS, de 10,3 milhões de toneladas, e em 42,6% a previsão para o milho, que era de 5,3 milhões de toneladas. Foram 2,2 milhões de toneladas de milho e 4,4 milhões de toneladas de soja a menos, que pelos preços atuais significam uma perda de quase R$ 5,6 bilhões para os produtores gaúchos.

A frustração, que deverá comprometer o desempenho de toda a economia local neste ano, levou o Estado a elevar em 50% a oferta inicial de recursos para custeio, comercialização e investimentos em 2012/13, para R$ 2,4 bilhões. No ciclo anterior, quando o Rio Grande do Sul elaborou seu primeiro plano de safra próprio, o montante anunciado foi de R$ 1,6 bilhão, entre recursos do Banrisul e repasses do BNDES, mas o valor efetivamente liberado alcançou R$ 2,2 bilhões.

Ontem, durante o lançamento do programa, o governador Tarso Genro explicou que R$ 1,7 bilhão serão liberados pelo Banrisul (com juros iguais aos estabelecidos no plano agrícola federal) e R$ 170 milhões pelo Tesouro do Estado para investimentos diretos das secretarias. O Badesul, banco de fomento também controlado pelo governo gaúcho, e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), ligado aos governos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul, vão repassar, juntos, outros R$ 530 milhões em linhas do BNDES.

"Com mais recursos disponíveis e um clima melhor, temos uma vasta possibilidade de recuperar [as perdas da safra anterior]", disse Genro. Segundo o secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Estado, Ivar Pavan, o plano inclui financiamentos a projetos de irrigação e reforço da assistência técnica prestada pela Emater-RS. O secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, afirmou que o programa também pretende melhorar os sistemas gaúchos de defesa sanitária e de pesquisa agropecuária.

O Estado vai aportar, ainda, R$ 10 milhões em um fundo de aval para facilitar a liberação de linhas de financiamento para as cooperativas agropecuárias. Além disto, assinou com a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, convênios de adesão ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e ao Brasil Rural Sem Miséria, do governo federal.

A estimativa global do governo gaúcho é que o Rio Grande do Sul terá acesso a R$ 16 bilhões para financiar a safra 2012/13, incluindo recursos estaduais, federais, de bancos privados e de cooperativas. No início desta semana, o Banco do Brasil já havia anunciado a oferta de R$ 8,1 bilhões em créditos para os produtores rurais gaúchos, 15% mais que em 2011/12, sendo R$ 5,9 bilhões para agricultura empresarial e R$ 2,2 bilhões para a produção familiar.

Conforme o diretor de crédito do Banrisul, Guilherme Cassel (ex-ministro de Desenvolvimento Agrário no governo Lula), os recursos disponibilizados pelo banco para a próxima safra provêm das exigibilidades sobre os depósitos à vista e da caderneta de poupança rural. Segundo ele, em 2011/12 o banco acabou liberando R$ 400 milhões a mais do que o montante previsto inicialmente (R$ 1,1 bilhão) em recursos próprios e terá condições de suportar novamente uma eventual demanda superior ao valor projetado de R$ 1,7 bilhão para 2012/13.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2750504/gauchos-preparam-se-para-recuperar-perdas#ixzz20VV0HPbs

Fonte: Valor | Por Sérgio Ruck Bueno | De Porto Alegre