.........

Frio afeta crescimento de pastagens

.........

A massa de ar polar que invadiu o Rio Grande do Sul deixa os pecuaristas preocupados. O azevém, que predomina no Estado como pastagem de inverno, tem como temperatura ótima de crescimento 18ºC. Abaixo disso, a planta para de crescer. ‘O frio afeta principalmente as pastagens que estão com maior desenvolvimento vegetativo’, diz o diretor da Farsul Carlos Simm. Se o frio persistir, a tendência é que os pecuaristas tenham que reduzir a lotação, sob pena de esgotarem as pastagens de inverno.

O pesquisador do Nespro Pedro Marques acrescenta que as chuvas tiveram maior intensidade no primeiro semestre em relação a mesmo período de 2012, o que fez com que o azevém e a aveia se desenvolvessem sob condições apenas satisfatórias nas regiões de Cima da Serra, Fronteira-Oeste e Planalto. A pastagem até cresceu a uma altura normal, mas as folhas ficaram amareladas. A situação poderá se complicar, alerta ele, caso o frio continue com a mesma intensidade nas próximas semanas.

Para os produtores de folhosas, a recomendação do agrônomo da Emater Dulphe Pinheiro Machado é proteger o plantio com plástico. O especialista ainda avaliou o frio como ‘benéfico e bem-vindo’ para um grupo numeroso de culturas, como o trigo e a fruticultura. ‘As geadas são importantes porque promovem um controle populacional de pragas e doenças. Fazem uma limpeza’, lembra.

Fonte: Correio do Povo