Frente Parlamentar da Agropecuária quer mais diálogo com o governo federal no próximo mandato

Bancada ruralista estará maior e com mais opositores ao governo na nova formação do Congresso Nacional

Divulgação

Foto: Divulgação / FPA

Em pauta, estão solução para o setor

Em Brasília (DF), parlamentares que representam o agronegócio afirmam que vão cobrar mais compromissos do governo federal no próximo mandato. Deputados e senadores da bancada ruralista se reuniram nesta terça, dia 28, pela primeira vez após as eleições e esperam mudanças no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
• Entidades do setor colocam principais demandas para 2º mandato de Dilma Rousseff

Parlamentares da oposição querem mais diálogo com o executivo, uma das promessas da presidente Dilma Rousseff após vencer as eleições. Na nova formação do Congresso Nacional, a bancada vai estar maior e com mais opositores ao governo.

– Essa pulverização das forças no Congresso vai fazer com que o poder executivo ouça mais os parlamentares. Assim o setor vai ter uma política mais concreta. Quando há um domínio muito forte de um só poder, o outro fica enfraquecido – diz o deputado de Solidariedade (MG), Zé Silva.

– A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) tem que se fortalecer para defender nosso país. Em pauta estão assuntos que prejudicam a produção brasileira, vetos ambientais que ficam rondando no Congresso, além de outros debates – salienta o deputado Nilson Leitão, de Mato Grosso.

Para os congressistas, a presidente reeleita vai ter um desafio com o legislativo.

– Estamos preparados para discutirmos e avançarmos em medidas cruciais que ficaram para trás nesses últimos anos – reforça o deputado Marcos Monte, de Minas Gerais.

Para o presidente da FPA, Luiz Carlos Heinze, o setor espera também mudanças no Ministério da Agricultura, mas sem dar palpites de quem deverá ser o novo gestor da pasta.

– Nosso foco maior, hoje, é fortalecer o Ministério da Agricultura efetivamente. Queremos um Ministério de primeira linha para dar certo no país – diz.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr