.........

Fraco desempenho da agropecuária causa retração do PIB do Rio Grande do Sul no primeiro semestre de 2012

.........

Setor apresentou resultado 37,9% menor que o do mesmo período do ano passado

Jean Pimentel

Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

Estiagem afetou economia do Rio Grande do Sul no primeiro semestre do ano

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul apresentou queda de 4,1% no primeiro semestre de 2012, na comparação com igual semestre do ano anterior. A Agropecuária, com redução de 37,9% no mesmo período, foi o setor com maior impacto negativo sobre o desempenho geral da economia. Soja(-48,4%), arroz (-13,5%), milho (-44,3%) e fumo (-21,6%) foram os produtos agrícolas que mais contribuíram para a queda do setor. A estiagem que afetou o Estado no início do ano é apontada como responsável pela queda.
— As perdas da agropecuária estão concentradas no primeiro semestre; a partir do próximo trimestre não serão tão impactantes — avaliou o economista Fundação de Economia e Estatística (FEE), Martinho Lazzari.
A Indústria registrou queda de 1,4% no período. Houve crescimento nas atividades de Construção Civil (2,6%) e das Demais Indústrias (3,1%), enquanto a Transformação, a atividade de maior peso no setor, variou negativamente 2,9%. Falta de matéria-prima agrícola em função da estiagem, retração das exportações e baixo desempenho da indústria nacional explicam o dado do setor no Rio Grande do Sul.
Para a queda, foram decisivos os maus resultados dos ramos de Veículos Automotores (-14,4%), Alimentos (-7,6%), Metalurgia básica (-22,1%), Calçados (-11,0%) e Fumo (-19,2%). Positivamente, destacaram-se Máquinas e Equipamentos (22,5%), Refino de Petróleo (10,5%) e Mobiliário (11,0%). No setor Serviços, houve crescimento de 3,3% no semestre. Destaques para as taxas do Comércio (2,3%), Transportes (5,8%), Aluguéis (2,9%) e Administração Pública (3,7%).
No segundo trimestre de 2012, em comparação com o mesmo período de 2011, o PIB do Estado apresentou redução de 6,8%. A Agropecuária caiu 46,4% e a Indústria, 3,1%. Em contrapartida, os Serviços cresceram 2,8%.

RURALBR, COM INFORMAÇÕES DA FEE E DO GOVERNO DO RIO GRANDE DO SUL

Fonte: Ruralbr