Forte crescimento nas vendas de carnes para a Rússia em setembro

Após barrar as importações de alimentos dos Estados Unidos e da União Europeia em decorrência do conflito geopolítico na Ucrânia e habilitar mais de 90 estabelecimentos exportadores de carnes do Brasil, a Rússia de fato acelerou as compras de produtos brasileiros em setembro. No total, a receita obtida pelos frigoríficos do país com as vendas de carnes bovina, suína e de frango ao mercado russo somou US$ 293 milhões no mês passado, 70% a mais que em setembro de 2013.

Conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), as exportações de carne suína para a Rússia foram as que mais aumentaram. Em volume, a alta foi de 76,8%, para 17.065 toneladas – 39,6% do total embarcado. A receita subiu 172,9% na mesma comparação, para US$$ 87,8 milhões.

A aceleração do ritmo das vendas de carne suína para a Rússia em setembro se torna ainda mais evidente quando comparada com a expansão que já vinha ocorrendo. Entre janeiro e setembro, os frigoríficos brasileiros exportaram 129.499 toneladas aos russos e obtiveram uma receita de US$ 562,5 milhões. Em volume, o avanço em relação a igual intervalo do ano passado foi de 23,8%; em valor, de acordo com o levantamento divulgado pela ABPA, atingiu 80,82%.

"As novas habilitações de frigoríficos brasileiros pela Rússia resultam em aumento gradativo nas vendas para aquele mercado. Com a demanda e a oferta ajustadas, as indústrias estão vendendo menos para alguns mercados para atender à Rússia", afirmou, em comunicado, o presidente-executivo ABPA, o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra. Para este mês de outubro, a expectativa da entidade é de um desempenho ainda melhor das vendas de carne suína ao mercado russo.

Ainda que indústria de carne suína brasileira seja a mais depende das compras russas, também houve forte aumento das exportações das carnes bovina e de frango para aquele país em setembro. No mês passado, as vendas de carne bovina brasileira para a Rússia renderam US$ 153,6 milhões, um incremento de 25,3% na comparação com igual período do ano anterior, conforme dados da Secex organizados pela Abiec, entidade que representa os maiores frigoríficos exportadores do país.

Em volume, os russos importaram 35,1 mil toneladas em setembro, alta de 12,9% na comparação com o mesmo mês de 2013. Com isso, a Rússia foi o principal destino das exportações brasileiras em setembro e respondeu por 27,9% das vendas externas em receita e por 29,6% em volume.

No caso da carne de frango, também houve forte crescimento, mas a Rússia ainda respondeu por menos de 6% das exportações em setembro. Ao todo, as empresas brasileiras exportaram 20,9 mil toneladas para os russos, um expressivo incremento de 291% ante setembro do ano passado, de acordo com dados compilados pela ABPA. Na mesma base de comparação, a receita com essas exportações subiu 226,8% e totalizou US$ 51,6 milhões.

A despeito do significativo avanço das vendas para a Rússia, nem todos os mais de 90 frigoríficos habilitados pelo serviço sanitário russo podem exportar. Conforme o Valor informou ontem, 20 plantas, entre unidades de carnes suína e de aves, ainda esperam o sinal verde do Ministério da Agricultura. É provável que nem todas essas unidades sejam de fato autorizadas a exportar, já que boa parte delas enfrenta problemas tanto nas áreas sanitária quanto burocrática.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3733842/forte-crescimento-nas-vendas-de-carnes-para-russia-em-setembro#ixzz3G8fA9KI6

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo