Fiscais agropecuários encerram vigília e definem novos protestos

O próximo passo será uma reunião com os delegados regionais em Brasília

por Estadão Conteúdo

Marcello Casal Jr./ABr

Fiscais agropecuários durante protesto no ano passado, em Brasília (Foto: Marcello Casal Jr./ABr)

Fiscais federais agropecuários devem encerrar a vigília que realizam desde a tarde desta terça-feira (18/9) em frente ao Ministério da Agricultura. Os fiscais, que se instalaram em cadeiras colocadas sob duas tendas na Esplanada do Ministério, foram surpreendidos na madrugada pela virada do tempo: depois de 60 dias de estiagem em Brasília, choveu e ventou forte e a temperatura caiu.
A direção Sindicato Nacional dos Fiscais Federais (Anffa Sindical) e os delegados regionais se reúnem na quinta-feira (19/9), na sede da entidade, em Brasília, para definir a continuidade dos protestos iniciados em meados de agosto contra a nomeação do advogado Rodrigo Figueiredo para comandar a Secretaria de Defesa Agropecuária e do veterinário do setor privado Flávio Turquino para dirigir o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa).
Os fiscais agropecuários também protestam contra o corte de recursos orçamentários do Ministério da Agricultura e pela implantação da meritocracia na nomeação para cargos comissionados e pela realização de concursos públicos. Eles argumentam que o quadro de 2,9 mil fiscais é insuficiente para atender às demandas do agronegócio brasileiro, como sanidade animal e vegetal, registro de produtos agrícolas, veterinários e rações, além da fiscalização dos 4 mil estabelecimentos registrados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Fonte: Globo Rural