Financiamento é gargalo para programa de concessão

O grande gargalo para o sucesso do programa de concessões que será lançado pelo governo nas próximas semanas é a capacidade do país de financiá-lo, afirmou ontem o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira.
Segundo ele, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) continuará sendo o principal financiador de longo prazo no Brasil, já que não é possível substituí-lo “de imediato”, e o grande desafio do governo é usar os recursos do banco para alavancar os investimentos privados.
O BNDES anunciou que o custo dos empréstimos para projetos de infraestrutura será menor para empresas que emitirem debêntures (títulos de dívida privada).
Em seminário no Ministério do Planejamento, Oliveira afirmou que o governo estuda formas de minimizar riscos para os investidores. Uma das alternativas é uma linha de crédito contingente, com recursos do BNDES, que poderia ser acionada pelos executores para cobrir perdas com riscos considerados não gerenciáveis. Oliveira confirmou que o governo decidiu ampliar o número de trechos rodoviários que serão incluídos no programa de concessões (veja no quadro abaixo).
– Estamos finalizando a escolha dos trechos, oito ou 10 – disse Oliveira, sem dar detalhes.

AS ESTRADAS

Veja abaixo quais são os quatro trechos de rodovias que já estão com estudos de viabilidade em andamento para irem à leilão

-BRs-476/153/282/480, que liga Rio Grande do Sul e Santa Catarina a Curitiba (PR)

a BRs-364/060 entre os municípios deSinop (MT) e Goiânia (GO)

-BR-163 entre Mato Grosso e Pará

-BR-364, ligando Jataí (GO) a Minas Gerais.

Fonte: Zero Hora