.........

Ferrugem da soja monitorada em tempo real

.........

Foto: Marcelo Madalosso/Instituto Phytus

Por meio de câmeras de vídeo instaladas em diferentes ângulos e cenários, será acompanhada em tempo real a partir desta safra a evolução da ferrugem asiática nas lavouras de soja. Projeto pioneiro da Bayer CropScience escolheu seis diferentes regiões do país para pesquisar uma ferramenta que auxilie o produtor a fazer controle eficiente do fungo – considerado uma das piores pragas da agricultura brasileira. As câmeras foram instaladas em lavouras de Cafelândia (PR), Rio Verde (GO), Campo Novo do Parecis (MT), Paulínia (SP), Itaara (RS) e de Planaltina (DF).

– A partir dessas imagens e informações, serão identificados o nível de risco da doença e as estratégias para o
manejo – explica Ricardo Balardin, consultor do Instituto Phytus, que irá ceder a estação experimental em Itaara para
desenvolvimento do projeto.

As câmeras irão monitorar três cenários: visão panorâmica, manejo correto e manejo atrasado. O objetivo é mostrar ao produtor a diferença de fazer a pulverização na hora certa.

– Uma semana de atraso na aplicação pode determinar o fracasso da lavoura. E não estamos falando em aumentar
aplicações, pelo contrário, a ideia é racionalizar o uso – completa Balardin, acrescentando que em dois anos será possível ter os primeiros resultados.

INÍCIO

Postado por Joana Colussi, às 15:21

Fonte: Zero Hora