.........

FARSUL lança índices de inflação para o agronegócio

.........

Enquanto os produtores rurais do Estado receberam em média 6,64% menos em 2014, a inflação (IPCA) acumulada no Brasil foi de 6,41%. Os dados foram apresentados pelo Sistema FARSUL nessa segunda-feira (18), durante o lançamento de dois indicadores econômicos mensais próprios da entidade: o Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP) e o Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelos Produtores Rurais (IIPR).

Um dos objetivos é demonstrar que a inflação dos alimentos no mercado varejista muitas vezes não condiz com os valores recebidos pelos produtores gaúchos. “O que é praticado de um lado, não é praticado no outro”, afirmou o presidente do Sistema FARSUL, Carlos Sperotto. “Nós queremos fazer com que a sociedade entenda que estar pagando mais pelos alimentos no supermercado não quer dizer, necessariamente, que o produtor é o responsável por isso. Na maioria das vezes, não é.”

A aparente contradição nos valores se explica pela complexidade da cadeia produtiva do Estado. Segundo Antonio da Luz, economista do Sistema FARSUL, os preços dos alimentos nas gôndolas são definidos pelos varejistas, que analisam o poder de compra do brasileiro, crescimento do PIB, inflação, crédito, entre outros.

Esses critérios são diferentes dos adotados pela indústria na hora de comprar arroz, milho, soja, trigo, carnes dos produtores gaúchos. Esses preços são intimamente ligados à oferta e demanda mundial, além das variações nos custos das empresas na energia elétrica, combustíveis, aluguéis, mão de obra, frete, impostos. “O produtor não pode aproveitar o que acontece no varejo. Se ele aumenta seu preço, o atacadista pode importar”, explica da Luz.

Outro dado destacado na conferência foi o índice de custos (IICP) acumulado nos últimos 12 meses, de abril de 2014 a abril de 2015. O aumento foi de 10,43%, o maior registrado na

série, que contabiliza dados de 2010 ao ano atual. “O índice comprova os relatos que estamos ouvindo dos produtores rurais, de que está mais caro produzir”, afirmou da Luz. O material já foi apresentado pela FARSUL para Fiergs, Fecomércio e FCDL.

Com funcionam os índices

O Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP) é calculado a partir dos custos de produção levantados anualmente pela CNA/FARSUL em parceria com a Cepea. A partir disso, a equipe econômica do Sistema FARSUL atualiza os preços dos insumos, gerando indicadores mensais. Os produtos que compõe os painéis são arroz, milho, soja e trigo. As culturas representam 97% da área plantada no estado.

Já o Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelos Produtores Rurais (IIPR) apura a variação do preço do arroz, milho, soja, trigo, boi gordo, suíno, frango e leite – produtos que representam 80% do Valor Bruto da Produção. Os preços são fornecidos pelo Cepea, com exceção de suínos e leite, informados pela Emater.

Além do acompanhamento mensal, também será disponibilizado um levantamento histórico, com início em janeiro de 2010. Os indicadores são contribuições da Farsul à sociedade, podendo ser utilizados não só pela área acadêmica no desenvolvimento de pesquisas econômicas, como também pelos governos na construção de políticas públicas para o agronegócio.

Clique aqui para acessar o estudo na íntegra.
E aqui para conferir o acompanhamento histórico (início em 2010).

Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (FARSUL)
www.farsul.org.br

Fonte: Farsul