.........

Farsul alerta para crise de competitividade

.........

Carlos Sperotto espera revisão tributária<br /><b>Crédito: </b> bruno alencastro

Carlos Sperotto espera revisão tributária
Crédito: bruno alencastro

Num ano em que o campo sustentou o crescimento econômico do Estado, com safra de 28,82 milhões de toneladas e participação de 64% do agronegócio nas exportações estaduais até outubro, a Farsul voltou ontem a pregar cautela. Apesar da projeção de preços aquecidos pela estimativa de manutenção de demanda internacional forte por grãos, pesa a incerteza sobre os efeitos do La Niña. A Farsul projeta recuo de 7% na produção e calcula que, por causa do déficit hídrico, 10% da área com milho sem irrigação está sendo replantadas com soja.
Durante balanço anual, o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, alertou para a ameaça da "desag ricultura lização", nome dado à perda de competitividade gerada pela alta carga tributária. Estudo da federação indica que o peso dos impostos é de 25% no custo, enquantona Argentina esse percentual não passa de 8 % . A desoneração é fundamental para manter a viabilidade da agricultura brasileira."
Segundo o economista e consultor da Farsul Antônio da Luz, a situação do arroz e do trigo é um sinal do risco que se avizinha. O consultor explica que o processo só não foi detonado ainda porque o país tem fartura de recursos naturais e avançou tecnologicamente. Sperotto diz que os produtores estão fazendo sua parte, mas é preciso que a esfera pública faça uma reforma tributária, estabeleça liberdade de comércio para que os brasileiros possam importar insumos e máquinas com a mesma liberdade aplicada a grãos e carnes. O tema foi tratado nesta semana com o governador Tarso Genro. A expectativa é por um posicionamento em 2012.

Fonte:  Correio do Povo