Exportação de soja voltará ao patamar de 2011

Ainda que a Associação Brasileira de Óleos Vegetais (Abiove) tenha elevado suas projeções para os volumes das exportações brasileiras de soja em grão e farelo de soja no ano que vem, na esteira de uma visão mais otimista para a colheita da matéria-prima nesta temporada 2015/16, os ajustes não foram suficientes para tirar a receita dos embarques do caminho de uma nova retração – que, se confirmada, será a segunda consecutiva.

De acordo com estimativas divulgadas ontem pela entidade, no total os embarques do "complexo soja" (inclui grão, farelo e óleo) deverão render US$ 25,2 bilhões em 2016, US$ 443 mil a mais que o projetado no mês passado mas valor ainda 8% menor que o calculado para este ano (US$ 27,381 bilhões) e o mais baixo patamar desde 2011. Isso porque a tendência de queda dos preços internacionais continua no radar da indústria (ver infográfico ao lado).

Como de costume, as exportações do complexo no próximo ano serão puxadas pelo grão (US$ 19,250 bilhões, 6,2% menos que em 2015). Os embarques de farelo tendem a alcançar US$ 5,082 bilhões, uma queda de 12% na comparação, e os de óleo poderão recuar 20%, para US$ 868 milhões.

Por Mariana Caetano | De São Paulo

Fonte : Valor