.........

Exportação de soja em ritmo de queda

.........

Apesar do tombo de novembro, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) fez um leve ajuste para cima em sua estimativa para os embarques nacionais de soja em grão em 2014. A commodity encabeça as exportações do agronegócio nacional.

Conforme dados divulgados ontem pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic), as vendas do grão ao exterior somaram 176,6 mil toneladas e renderam US$ 81,6 milhões no mês passado. Na comparação com outubro, houve quedas de 76,2% e 77,5%, respectivamente; em relação a novembro de 2013, as retrações foram de 72,7% e 76,6%.

Apesar da alta das cotações dos contratos futuros de segunda posição de entrega (março de 2015) na bolsa de Chicago em novembro, o preço médio da matéria-prima exportada pelo Brasil confirmou as expectativas e voltou a cair. A tonelada saiu, em média, por US$ 462,2, 6% a menos que no mês anterior e 14,3% abaixo de novembro de 2013.

Mesmo com a freada, o ritmo dos embarques, sobretudo no primeiro semestre, foi suficiente para praticamente garantir novos recordes para a soja no front externo em 2014. Com uma elevação de 500 mil toneladas em relação à estimativa que divulgou no fim de outubro, a Abiove passou a projetar que as exportações do grão somarão 46 milhões de toneladas e renderão US$ 23,46 bilhões neste ano – 7,5% e 2,8% a mais que em 2013, respectivamente.

Mas a atual tendência de queda de preços (ver infográfico acima) deixará marcas indeléveis em 2015. No relatório que divulgou ontem, a Abiove manteve as previsões para volume e receita dos embarques de soja no ano que vem – e, apesar das 48 milhões de toneladas previstas, em razão de mais uma colheita recorde estimada para esta safra 2014/15, a projeção para a receita é de queda de quase 25%, para US$ 17,76 bilhões.

A Abiove manteve em 13,1 milhões de toneladas e em US$ 6,288 bilhões (7,4% menos que em 2013) seus cálculos para as exportações nacionais de farelo de soja em 2014, mas também elevou a projeção para os embarques de óleo de soja neste ano – de 1,05 milhão para 1,1 milhão de toneladas, com uma elevação proporcional para a receita, agora estimada em US$ 957 milhões (29,9% abaixo do valor de 2013).

Assim, as exportações do chamado "complexo soja" (inclui grão, farelo e óleo) passaram a ser estimadas em US$ 30,705 bilhões em 2014, pouco acima dos US$ 30,407 bilhões previstos no fim de outubro e ainda abaixo do resultado de 2013 (US$ 30,965 bilhões), que foi recorde. Para 2015, por conta dos preços, a Abiove prevê US$ 23,127 bilhões.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3800412/exportacao-de-soja-em-ritmo-de-queda#ixzz3KjtyDuMs

Fonte: Valor | Por Mariana Caetano e Fernando Lopes | De São Paulo