.........

Exportação de café volta a cair e frustra expectativas

.........

As vendas externas de café voltaram a recuar em julho deste ano, frustrando as expectativas do setor exportador do país. Os embarques caíram 11% na comparação com igual mês de 2016, para 1,752 milhão de sacas, segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CeCafé). Os números incluem café verde, torrado e moído e solúvel.

A receita com as exportações no mês passado também caiu, uma vez que a alta dos preços médios não foi suficiente para compensar o volume menor. O montante totalizou US$ 283,4 milhões, queda de 7,3% na comparação com julho de 2016. O preço na exportação no mês subiu 4,1%, para US$ 161,78 por saca.

"Alguns fatores influenciaram o volume, que ficou foi abaixo do que havíamos estimado", disse Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé, em nota. "Os estoques de passagem estavam em níveis reduzidos. Além disso, a nova safra entrou em velocidade reduzida, enfraquecendo a oferta", acrescentou. Ele afirmou, contudo, que a expectativa é que até setembro as exportações retomem "os níveis normais", com a entrada de café colhido no mercado.

Do volume exportado em junho, 1,498 milhão de sacas foram de arábica, com queda de 6,9%. As vendas externas de conilon caíram 57,3%, para 16,346 mil sacas, ainda refletindo a menor oferta da espécie no Brasil, após a forte seca dos últimos dois anos no Espírito Santo. Os embarques de café solúvel caíram 25,4%, para o equivalente a 235,6 mil sacas.

Com o resultado de julho, as exportações nos primeiros sete meses do ano caíram 8% na comparação com o mesmo intervalo de 2016, para 16,787 milhões de sacas. A receita com os embarques de café no período subiu 7,2% na comparação com janeiro a julho de 2016, para US$ 2,891 bilhões.

Do volume embarcado, 14,77 milhões de sacas foram de arábica, com recuo de 5,5%. As vendas externas de conilon despencaram de janeiro a julho, refletindo a menor oferta. Os embarques somaram só 135 mil sacas, com queda de 70,6% ante igual período de 2016. As exportações de café solúvel somaram o equivalente a 1,860 milhão de sacas no acumulado do ano, queda de 13,4% na mesma comparação, segundo o Cecafé.

Por Bettina Barros | De São Paulo

Fonte : Valor