.........

Exportações do campo seguem em alta

.........

As exportações brasileiras do agronegócio renderam US$ 8,3 bilhões em julho, 5,8% mais que no mesmo mês de 2016, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic) compilados pelo Ministério da Agricultura. Na mesma comparação, as importações do setor recuaram 8,3%, para pouco mais de US$ 1 bilhão, e, com isso, o superávit do campo chegou a US$ 7,2 bilhões, incremento de 7,9%.

A balança continuou a ser puxada pelo chamado "complexo soja" (inclui grão, farelo e óleo), cujos embarques alcançaram US$ 3,1 bilhões no mês, montante 0,3% maior que o de julho do ano passado. Praticamente recuperadas dos reflexos negativos da "Operação Carne Fraca" – deflagrada pela Polícia Federal em março com foco na investigação de casos de corrupção envolvendo fiscais agropecuários e frigoríficos -, as vendas externas de carnes cresceram 13,2%, para US$ 1,3 bilhão. Terceiro grupo do ranking, açúcar e etanol renderam US$ 1,1 bilhão, retração de 3,8%.

Apesar de continuar com receita distante da registrada pelos produtos que lideraram as exportações do agronegócio brasileiro em julho, o avanço das vendas de milho ao exterior foi um dos destaque do mês. De acordo com o Ministério da Agricultura, os embarques do cereal cresceram 122,2% em volume e levaram o grupo "cereais, farinhas e preparações" à marca de 415,9 milhões no mês passado, 85,5% acima do resultado de julho de 2016. Naquele mês, os embarques foram afetados pela baixa disponibilidade de milho.

De janeiro a julho, as exportações do agronegócio somaram US$ 56,4 bilhões, alta de 6,8%, e o superávit cresceu 5,4%, para US$ 48 bilhões.

  • Por Cristiano Zaia | De São Paulo
  • Fonte : Valor