Exportações de milho tendem a alcançar um novo recorde este ano

As exportações brasileiras de milho confirmaram as expectativas e se mantiveram em ritmo forte em novembro. Conforme levantamento da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), os embarques do grão somaram 4,9 milhões de toneladas, mesmo patamar de outubro e volume 35% superior ao de novembro de 2014. Nos onze primeiros meses de 2015 as vendas ao exterior chegaram a 24,9 milhões de toneladas, quase 40% a mais que em igual período do ano passado, e se aproximaram do recorde de 2013 (26,6 milhões), que deverá ser quebrado.

"No aspecto logístico, cabe apontar a maior utilização de portos antes não tão demandados para o escoamento do milho, como Itaqui [São Luís/MA] e Vila do Conde [Barcarena/PA], que contribuíram com um incremento de mais de 2 milhões de toneladas embarcadas em 2015", diz a Anec em comunicado. A principal porta de saída do milho brasileiro ao mercado externo continua sendo Santos, no litoral paulista. O Brasil é o segundo maior país exportador de milho do mundo, atrás dos EUA.

Mais surpreendente, conforme a Anec, foi a manutenção de volumes expressivos na exportação de soja, o que é raro nesta época do ano – diferentemente do milho, cujos embarques são alimentados pela segunda safra, no caso da soja é a colheita da primeira safra, no verão, que sustenta as exportações. Com a produção recorde do ciclo 2014/15, as vendas da oleaginosa somaram 1,7 milhão de toneladas em novembro, 1,5 milhão a mais que no mesmo mês de 2014, e alcançaram 52,6 milhões de toneladas nos primeiros onze meses, deixando ainda mais para trás os recordes anuais anteriores.

Por Fernando Lopes | De São Paulo

Fonte : Valor